Uma edição que vale por 12. A publicação destaca análises anuais dos principais setores da pecuária brasileira.

Informação com credibilidade há 17 anos!

Pecuária de Leite

Esperança de ventos melhores

Pecuária

Queda de 10% no preço em um ano e alta de 9,6%, esperada no mercado futuro do milho em março de 2018, preocupam

O otimismo no mercado do leite, no primeiro semestre, deu lugar ao pessimismo e à queda do preço ao produtor e aos demais elos da cadeia, na segunda metade do ano.

O mercado perdeu sustentação cedo, em função da demanda fraca e do crescimento da produção depois de dois anos em queda.

A cotação do leite pago ao produtor vem caindo desde o pagamento de junho. O patamar em outubro (mês do fechamento desta análise) foi 10% menor, na comparação com o mesmo período de 2016, considerando os valores nominais (figura 1).

Pecuária

A produção aumentou em 2017, com o clima favorável e também em função da queda nos custos de produção, especialmente da dieta, com destaque para o milho e o farelo de soja.

De janeiro a outubro, o volume captado pelos laticínios aumentou 2,3% comparativamente com o mesmo período de 2016, segundo o Índice Scot de Captação de Leite (média nacional).

Outro ponto importante é a demanda fraca na ponta final da cadeia. As questões relacionadas ao consumo estagnado e a dificuldade de escoamento, em função da situação econômica vigente, vêm prejudicando o mercado, com pressão de baixa sobre os preços dos lácteos na indústria e na ponta final da cadeia. O consumo de produtos lácteos de maior valor agregado, com iogurte, queijos, manteiga etc., foi o mais prejudicado.

A cotação do leite longa vida (UHT), contudo, subiu em outubro e na primeira quinzena de novembro.

A maioria dos laticínios está trabalhando com estoques ...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante desta revista, clique Aqui e Assine Agora!