Uma edição que vale por 12. A publicação destaca análises anuais dos principais setores da pecuária brasileira.

Informação com credibilidade há 17 anos!

Exportação

Embarques rendem US$ 4,94 bilhões em dez meses

Isabella Camargo*

O Brasil está entre os principais exportadores de carne bovina e ocupa a segunda colocação na produção global. Após o bom resultado das exportações, entre 2014 e 2015, em 2016 a exportação perdeu força, mas manteve, em volume, um bom desempenho.

Foram vendidas para o exterior 1,83 milhão de toneladas de equivalente de carcaça em 2016, queda de 0,7% em relação ao acumulado de 2015. A leve retração aconteceu devido à diminuição da exportação para a Venezuela, cuja redução foi de 76,03% em volume para a Rússia, que caiu 22,54%; e para o Egito, que caiu 9,74%.

Instabilidades econômicas enfrentadas por esses países foram a causa da retração. A Venezuela ainda sofre com problemas econômicos e, de 2015 a meados de outubro de 2017, a contração foi de 98,9% no volume comprado pelo país. Para o faturamento, o impacto foi sensível. A queda foi de 7,2% em um ano.

EM 2017?

De janeiro a outubro de 2017, as exportações de carne bovina in natura, industrializada e de miúdos totalizaram 1,61 milhão de toneladas de equivalente de carcaça. Alta de 3,6% na comparação com o mesmo período do ano passado. O faturamento foi de US$ 4,94 bilhões, o que representa alta de 9,9% no período.

O principal comprador em volume e faturamento foi Hong Kong, responsável por 23% da exportação em volume. Em seguida, estão China, com14%; Rússia, com 11%; e Egito, com 10%. Juntos, esses quatro compradores, respondem por 58% do total exportado. Veja figura 1.

Exportação

Destaque para Arábia Saudita, que voltou a comprar carne bovina brasileira em 2016 e saiu da décima para sétima colocação. Nos dez primeiros meses do ano, o país comprou 49,3 mil toneladas de equivalente de carcaça...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante desta revista, clique Aqui e Assine Agora!