Uma edição que vale por 12. A publicação destaca análises anuais dos principais setores da pecuária brasileira.

Informação com credibilidade há 17 anos!

Pecuária de Corte

 

Balanço é positivo para a cadeia pecuária

Em relação aos custos de produção, alta dos preços do milho arrefeceu poder de compra do criador

O segmento pecuário, ao contrário da grande maioria dos outros setores da economia brasileira, não sentiu tanto a instabilidade econômica e política do País e manteve-se sólido no decorrer de 2016.

De modo geral, o ano foi positivo para a cadeia pecuária que acabou ajudando a sustentar o PIB brasileiro nesse momento delicado em que se encontra o País. Alguns acontecimentos no decorrer do ano influenciaram as tomadas de decisão dos pecuaristas, que foram obrigados a se manter antenados nas informações.

Os preços firmes da arroba praticados ao longo do ano, decorrentes da falta de animais terminados e com a ajuda das exportações, sustentaram o mercado, apesar da queda contínua da reposição ao longo do ano, que prejudicou os criadores.

Os frutos colhidos nas exportações deste ano foram consequência da reabertura de novos nichos de mercado e da retomada de algumas praças internacionais antes embargadas e hoje reconquistadas, como China e Estados Unidos. A expectativa era que esses acontecimentos, juntamente com a desvalorização do real frente ao dólar, fizessem com que as exportações se elevassem no decorrer de 2016 e que, consequentemente, ajudassem no escoamento da produção interna. Segundo dados da Associação Brasileira das Indústrias Exportadores de Carnes (Abiec), no acumulado de janeiro a outubro deste ano, as exportações de carne bovina tiveram um aumento de 4% em volume frente a 2015, totalizando 1,187 milhão de toneladas embarcadas com um faturamento de US$ 4,637 bilhões.

Já o mês de outubro fechou com as exportações de carne bovina em ...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante desta revista, clique Aqui e Assine Agora!