Uma edição que vale por 12. A publicação destaca análises anuais dos principais setores da pecuária brasileira.

Informação com credibilidade há 17 anos!

Reprodução

 

Sinais que merecem ATENÇÃO

Alcides Torres e Douglas Ribeiro*

Em 2012, a arroba do boi gordo ficou abaixo dos valores vigentes em 2011. Em função disso, a margem do negócio estreitou-se e o remédio foi redimensionar os investimentos. Tal fenômeno afetou negativamente os negócios nos mercados relacionados à reprodução animal.

RECEPTORAS

O volume de negócios diminuiu. A estimativa é de que a queda nas vendas seja de 10% a 15% frente ao ano passado. No Norte, a seca e a má qualidade das pastagens afetou a condição corporal das fêmeas e isto tem travado o mercado.

A figura 1 mostra o comportamento dos preços de receptoras vazias, indexados em arrobas de boi gordo. A reação nas cotações não indica necessariamente aumento de demanda, mas elevação de preço em função da indexação à arroba do boi gordo.

No Centro-Oeste e no Sudeste, as chuvas persistentes mantiveram boas as pastagens por mais tempo, o que colaborou com os negócios. De maneira geral, principalmente os criadores de menor porte, temem uma indefinição, com a vigência da lei que obriga o uso de receptoras zebuínas para determinadas raças a partir de 2014. O aumento do volume de chuvas e a consequente melhoria da disponibilidade de fêmeas em boas condições corporais podem estimular o mercado.

REPRODUTORES

A oferta de reprodutores está maior em relação ao ano passado e a demanda não acompanhou este crescimento. Apesar do incremento dos leilões a partir de setembro, a liquidez foi menor, fazendo uma comparação com os últimos dois anos. A procura por tourinhos a campo também caiu. Um dos principais fatores é o preço do bezerro.

HORMÔNIOS E MATERIAIS DE IA

A venda de insumos para reprodução, que acontece em maior volume nas semanas antes da estação monta, ocorreu mais cedo. As chuvas atípicas no Centro-Sul prolongaram a capacidade de suporte das pastagens e fizeram com que as compras dos produtos fossem antecipadas em 2012. Estima-se um incremento das vendas em 10% sobre o ano passado.

SÊMEN

As vendas de sêmen têm aumentado nos últimos anos. Segundo a Associação Brasileira de Inseminação Artificial (ASBIA), elas cresceram 76,8% entre 2006 e 2011. A retenção de matrizes, de 2007 a 2010, foi um dos fatores que colaboraram para o cenário. Paralelamente, o investimento em tecnologia para a cria aumentou.

Destaque para os incrementos das vendas de sêmen das raças Angus e Girolando. Nos últimos dois anos, cresceram 80,9% e 107%, respectivamente. Caso a tendência se mantenha, este pode ser mais um ano de boas vendas para estas raças.

PERSPECTIVAS

A participação de fêmeas no abate de bovinos no primeiro semestre de 2012 cresceu (IBGE). Este quadro tende a diminuir o efetivo de fêmeas nos pastos, o que afeta a demanda por insumos de reprodução.

Por outro lado, o viés é de aumento do uso de tecnologia, o que pode diminuir os efeitos do efetivo menor de vacas. O preço da arroba do boi gordo está em queda, o que caracteriza um ciclo de depressão. O custo de produção, por outro lado está subindo. Havendo caixa agora é a hora de investir.