Uma edição que vale por 12. A publicação destaca análises anuais dos principais setores da pecuária brasileira.

Informação com credibilidade há 17 anos!

Pastagem

 

Seca reduz PRODUÇÃO

A safra 2011/2012 de sementes de capim atingiu pico de entrega neste último trimestre, mas os preços começaram a ser formados no final de 2011.

Faltou chuva no plantio (outubro a dezembro de 2011), na germinação (entre dezembro/11 e maio/12) e choveu na colheita (a partir de maio de 2012). O resultado desse quadro climático foi a quebra da produção.

Veja na figura abaixo que no centrosul, entre maio e julho, época em que a seca é desejável, pois permite as operações de colheita e mantém a semente no solo com baixa umidade, o volume de chuvas aumentou. As áreas em azul no mapa indicam precipitações maiores que o normal para os meses selecionados.

Em São Paulo, o replantio de pastagens foi comum em função da seca.

São Paulo, aliás, embora seja um dos estados que mais vêm sentindo a expansão da agricultura sobre as áreas de pasto nos últimos anos, em particular a canade- açúcar, é um importante produtor de semente de capim. É o maior exportador para os demais estados pecuários da União e para diversos países, principalmente da América do Sul.

No Centro-Oeste, sementeiros matogrossenses, em função do fraco desenvolvimento das sementes de Brachiaria humidícola, adiaram a colheita e foram obrigados a colher por varredura.

A humidícola, em função do crescimento estolonífero, precisa ser colhida no “cacho”, antes da semente cair, geralmente em fevereiro. A colheita por varredura (no chão), como é feita para as demais espécies, a partir de maio, obriga a eliminação de toda a planta.

Enfim, os fatores climáticos é que determinam o tamanho da produção e esses atrapalharam em 2012. A oferta diminuiu.

A semente que deve ter menores problemas de oferta é a Brachiaria brizantha cv. Marandu, o braquiarão. O cultivar é o mais produzido no país e é a base das pastagens brasileiras.

Embora a safra 11/12 tenha sido afetada pelo clima, há estoques de passagem dessa semente, tanto com sementeiros como com revendas. Na temporada 10/11, o cenário foi oposto ao atual e existiram campos de produção do Marandu que chegaram a produzir 50 mil pontos de pureza por hectare, quando normalmente se obtém entre 25 e 30 mil.

O quilo da semente de braquiarão com valor cultural (VC) de 50% está cotado em R$ 9,00/kg nas revendas em São Paulo, preço 27% menor que há um ano.

No varejo, aliás, os preços de todas as variedades pesquisadas ficaram praticamente estáveis entre novembro e outubro. O pecuarista que vende boiadas em maior escala na safra pode estar desmotivado em 2012, em função do mercado em queda até agosto.

Porém, os preços subiram a partir de setembro e a arroba já é negociada ao redor dos R$ 100,00. Essa retomada de preço pode dar novo fôlego ao produtor, aquecer os investimentos e valorizar os insumos, inclusive as sementes de capim.

REFORMA DE PASTO

Dentre os componentes do custo para a formação do pasto, as sementes forrageiras possuem a menor participação, entre 5% e 6%. A atenção deve ser dada aos fertilizantes, que representam 30%, e às operações mecanizadas, 48%.

Segundo a Scot Consultoria, um hectare formado em São Paulo, com B. brizantha cv. Marandu, considerando os preços de insumos e a hora máquina de novembro, custa, em média, R$ 1,21 mil.

2013

A safra 2012/2013, que está sendo plantada e chegará ao mercado no final do primeiro semestre de 2013, deve vir cheia, já que não há previsão, até o momento, de interferências climáticas negativas.

Entretanto, mesmo este cenário se confirmando, é preciso ficar atento, já que as produções de cada tipo de semente, independentemente do comportamento das chuvas, variam ano a ano, sem que fique claro, com antecedência, aos agentes de mercado, muito menos ao consumidor.