Uma edição que vale por 12. A publicação destaca análises anuais dos principais setores da pecuária brasileira.

Informação com credibilidade há 17 anos!

Touro de Ouro

Três anos de sucesso

Touro de Ouro 2011 mostra pujança e chega à terceira edição fortalecido

Adilson Rodrigues e Bruno Santos

A expectativa foi grande para 4 de novembro, data da terceira edição do Touro de Ouro, prêmio realizado pela Revista AG para homenagear as empresas mais lembradas da pecuária brasileira. O evento foi promovido na sede da Sociedade Rural Brasileira (SRP), parceira pelo segundo ano consecutivo, localizada no centro da capital paulista, e contou ainda com a participação de Rubens de Vilhena Resstel e Luiz Suplicy Haffers – vice-presidente e conselheiro da entidade, respectivamente, convidados de honra da Revista AG. Como ocorreu em 2010, foram votadas exatas 35 categorias dos mais diversos setores da pecuária.

Uma novidade foi a reformulação do troféu, que ficou mais trabalhado e elegante, de forma a valorizar ainda mais os vencedores deste ano. Ao que tudo indica, o Touro de Ouro deve ter vida longa, assim como já acontece com o tradicional The Best há 12 anos. Nesta edição, notou-se uma grande alternância em algumas categorias, que, de certa forma, pode ter sido influenciada pelos investimentos em tecnologia e também na comunicação pelas empresas votadas. Um bom exemplo foi a Pfizer, que ano passado havia vencido Dispositivos para IATF e ficou com o prêmio de Vacinas em 2011, que, por sua vez, havia sido da Merial em 2010.

A mesma movimentação foi notada entre os grandes vencedores Ouro Fino e Tortuga. Novamente, a Ouro Fino foi a maior premiada, com seis estatuetas. Entretanto, duas delas foram conquistadas em categorias diferentes das vencidas em 2010: Dispositivos de IATF e Estimuladores de Cio. Vale ressaltar, desta vez, a liderança mais apertada, vencida somente após uma acirrada disputa com a Tortuga, que ficou com cinco troféus, sendo três dos mesmos segmentos vencidos em 2010 e dois novos: Antibiótico e Energético. A marca só não foi melhor que na 1ª edição do Touro de Ouro, quando levou seis estatuetas.

Cerca Elétrica também foi uma categoria com novo dono. Na segunda edição, pertenceu a Walmur, e nesta ficou com Speedrite. Nas demais, não houve mudanças, reforçando a liderança de algumas empresas. Destaque para Casale, que ficou com os prêmios Distribuidor/ Misturador de Silagem-Ração e Vagão Forrageiro, Coimma com Balanças e Tronco/Brete, CRV Lagoa com Empresa de Inseminação Artificial e Assessoria Genética e Nogueira com Colhedora de Forragem e Conjunto Fenação. “Nossa intenção é valorizar o trabalho de todas as empresas, aproximando o leitor dos seus produtos e serviços”, explica Eduardo Hoffman, diretor-executivo da Revista AG.

A escolha das empresas e profissionais contemplados no Touro de Ouro foi feita pelo público por meio de voto presencial na Feicorte, Expointer e Castrolanda 2011, pela internet ou por carta- resposta encartada na edição de agosto da Revista AG. No formulário, em papel ou eletrônico, constava apenas o segmento pecuário, cabendo ao público escolher qualquer nome, produto ou empresa de interesse.

Rubens Resstel e Luiz Haffers, da SRB, compuseram a mesa com Eduardo Hoffmann (centro), diretor-executivo da Revista AG

Para garantir a credibilidade do resultado, a PriceWaterHouseCoopers – empresa que certifica a apuração do Oscar nos Estados Unidos – fez a contagem junto à equipe da AG e o acompanhamento do processo pelo terceiro ano. Um grande diferencial é que, para validação, o eleitor teve de votar o mínimo de dez categorias. Hoffmann também aproveitou a oportunidade para destacar os diferenciais da Revista AG, que se dedica a informar o leitor de forma didática. “Neste ano, a publicação teve seu melhor resultado, mostrando vigor e crescimento no número de páginas, anunciantes e assinantes, presentes em todo o país”, conclui. Acompanhe a seguir a avaliação categoria a categoria.


Aditivo para Núcleo, Suplemento e Ração

Este foi o segundo ano desta categoria, que aos poucos ganha o maior conhecimento dos leitores. A Tortuga venceu mais uma vez com bastante folga, assim como a Premix se consolidou como segunda colocada, com bastante margem das demais. “A Tortuga tem vários produtos, tanto de nutrição quanto veterinários, por isso concorremos e vencemos em várias categorias. Isso faz com que a nossa marca seja muito lembrada pelos produtores”, observa Juliano Sabella, gerente de Marketing da Tortuga.

Juliano Sabella recebeu de Eduardo Hoffmann o Touro de Ouro na categoria Aditivo para Núcleo, Suplemento e Ração

Finalistas:
Tortuga – Campeã
Matsuda
Nutron
Premix
Supra


Antibiótico

Mais uma vez deu Tortuga, levando o segundo Touro de Ouro de 2011. Desta vez, seguida de perto pela Ouro Fino e Pfizer. Ano passado, a Ouro Fino tinha sido campeã e Tortuga vice. Em 2011, houve inversão de posições, mostrando a grande competitividade da categoria. Pfizer continua firme na terceira posição. Juliano Sabella, da Tortuga, faz questão de destacar especialmente a linha de saúde animal, a qual vem crescendo bastante, resultado de muito investimento em pesquisa e do desenvolvimento de novos produtos.

A Tortuga levanta o segundo troféu, recebido por João Hilário das mãos de Rubens Resstel na categoria Antibiótico

Finalistas:
Tortuga – Campeã
Bayer
Eurofarma
Ouro Fino
Pfizer


Antimastítico

Desta vez, Ouro Fino saiu na frente e conquistou o primeiro Touro de Ouro de 2011, repetindo o feito do ano passado. Em segundo, a Eurofarma, seguida de perto pela Bayer, Vallée e MSD, mostrando grande competitividade nas primeiras colocações. “Gostaria de destacar nosso desempenho neste ano. As seis categorias em que fomos premiados são responsáveis por boa parte do faturamento da empresa”, enfatiza José Ricardo Maio, gerente de Marketing e Hormônio da Ouro Fino.

Ao lado de Luiz Haffers, Marco Rezende recebe o troféu conquistado pela Ouro Fino na categoria Antimastítico

Finalistas:
Ouro Fino – Campeã
Bayer
Eurofarma
MSD Saúde Animal
Vallée


Arame

Mais uma vez a Belgo confirma liderança na preferência dos leitores. Continua seguida muito de perto pela Gerdau, pelo terceiro ano consecutivo. A grande novidade foi a entrada da Taura na disputa, com o terceiro lugar, superando a Morlan. Aqui há poucas empresas, ao contrário da maioria das categorias do Touro de Ouro. Mas parece que a Taura está querendo mudar este cenário. “Estamos há 92 anos fazendo produtos de qualidade para o homem do campo, trabalhando sempre com base nas demandas reais do mercado e continuamente correndo atrás de inovação”, afirma Guilherme Rocha Viana, gerente de Arames para Agropecuária da Belgo.

Na categoria Arame, Guilherme Rocha recebe a premiação de Eduardo Hoffmann

Finalistas:
Belgo – Campeã
Gerdau
Morlan
Taura


Assessoria Genética

Também em seu segundo ano, esta categoria repetiu a empresa campeã em 2010, a CRV Lagoa, que leva o Touro de Ouro de 2011 com uma boa vantagem sobre a segunda colocada, a ABS, com Alta Genetics colada, em terceiro. Assessoria Genética é uma categoria à qual os leitores ainda estão se familiarizando. É um segmento composto por empresas contratadas para apartar os melhores animais que vão a leilão ou prestar consultoria nos acasalamentos que serão feitos no rebanho da propriedade. “Para a CRV Lagoa, não há nada melhor que o reconhecimento dos clientes”, define Antonino Bosco de Resende, gerente Nacional de Vendas e Serviços da CRV Lagoa.

Luiz Haffers entrega Touro de Ouro para Antonino Bosco, da CRV Lagoa, na categoria Assessoria Genética

Finalistas:
CRV Lagoa – Campeã
ABS Pecplan
Alta Genetics
Gensur
Semex


Balança

Pela terceira vez, o prêmio é da Coimma. Até agora, está imbatível, consolidando as vitórias de 2009 e 2010. A Toledo ficou em segundo, com a Açores bastante próxima. A categoria Balanças é uma das mais votadas, gerando uma disputa intensa pela preferência dos leitores. “O troféu representa a satisfação que os nossos clientes têm com nossa empresa e nossos produtos. Acreditamos no avanço da pecuária nacional”, relata José Otacílio da Silveira, diretor da Coimma.

José Otacílio exibe prêmio concedido por Rubens Resstel na categoria Balanças

Finalistas:
Coimma – Campeã
Açores
Irmãos Beckhauser
Toledo
Valfran


Brincos

Também tri-campeã, a Allflex venceu a categoria Brincos com uma larga vantagem contra as quatro empresas finalistas. Isso mostra a preferência dos pecuaristas e leitores da revista. “Em nome da Allflex, agradeço pelo prêmio. Através dele, conseguimos mensurar as melhorias que realizamos na companhia”, assinala Maurício Antonicheli, promotor de Vendas da Allflex.

Eduardo entrega prêmio da Allflex na categoria Brincos para Maurício Antônio Cheli

Finalistas:

Allflex – Campeã
Agrobrinco
Animall TAG
Fockink
Ouro Fino


Carrapaticida

Mais uma vez tivemos aqui uma competição acirrada entre Ouro Fino e Tortuga, ficando aquela com o Touro de Ouro de 2011. Carrapaticida é outra categoria onde concorre um grande número de empresas e produtos, gerando uma votação expressiva, qualificando ainda mais todos os finalistas. “Dentre outros pontos que resultaram em mais esta premiação, ressalto em especial os segmentos nos quais temos bastante participação, caso de Mosquicida e Carrapaticida, onde o Colosso está com 40% do mercado”, analisa José Ricardo Maio, da Ouro Fino.

José Ricardo ao lado de Luiz Haffers na premiação da Ouro Fino na categoria Carrapaticida

Finalistas:
Ouro Fino – Campeã
Allvet
MSD Saúde Animal
Novartis
Tortuga


Cerca Elétrica

Neste segmento, temos uma disputa bastante interessante. Em 2009, a Walmur e Zebu empataram na primeira colocação, ficando a Speedrite em terceiro. Em 2010, foi a vez da Walmur ganhar o Touro de Ouro sozinha e a Zebu ficar empatada em segundo lugar com a Speedrite. E, agora em 2011, quem vence é a Speedrite, abrindo uma certa vantagem para Walmur (2ª) e Zebu (3ª). Vamos ver o que acontece no ano que vem.

Finalistas:
Speedrite – Campeã
Cercanimal
Gallagher
Walmur
Zebu


Certificadora de Rastreabilidade

A Planejar mostra a força e vence pela terceira vez consecutiva, disparada na frente do restante da concorrência. Mais uma vez, foi um segmento que mostrou uma baixa votação, demonstrando o menor interesse dos pecuaristas neste assunto de grande importância para a pecuária brasileira. “O fator mais importante desse prêmio é que ele é determinado pelo mercado. O setor da certificação está em retomada e acreditamos que logo vai se consolidar. A expectativa para este mercado de rastreabilidade está muito promissor para 2012. Qualquer iniciativa que ajude nesta consolidação é muito bem vista por nós”, explica Luciano Médici, diretor da Planejar.

O prêmio de Certificadora de Rastreabilidade foi para a Planejar, de Luciano Médici, agraciado por Rubens Resstel

Finalistas:
Planejar – Campeã
Biorastro
Cert-Rastro
Oxxen
Pantanal


Cocho

Mais um segmento que estreou em 2010 e repetiu os dois primeiros colocados. Em primeiro lugar, Currais Itabira, a bi-campeã, seguida de muito perto pela Prático de Garça, bi-vice-campeã. As outras finalistas posicionaramse com um pouco menos de votos e muito próximas umas das outras. “Receber o Touro de Ouro é uma grande satisfação. Buscamos sempre melhorar o canal com os pecuaristas, atendendo-os sempre com excelência e fornecendo tudo que precisam em termos de tecnologia”, resume Lúcio Coelho, gerente de Vendas da Currais Itabira.

Luiz Haffers entregou o Touro de Ouro da categoria Cocho para Lúcio Coelho

Finalistas:
Currais Itabira – Campeã
Pampa
Prático de Garça
Unipac
Valfran
Gavioli


Colhedora de Forragem

A Nogueira é a campeã do Touro de Ouro três anos seguidos, mostrando a força da marca. Encostada, JF, também pela terceira vez, repete a segunda posição. As outras três finalistas aparecem mais distantes das duas primeiras e muito próximas umas das outras. “A Nogueira busca sempre desenvolver produtos que tragam resultados efetivos no campo. Um prêmio desse porte é um reconhecimento ao que fazemos”, declara Edson José Miquilini, gerente Comercial da Nogueira.

Entre Eduardo Hoffmann e Rubens Resstel,Márcio Cavalaro exibe prêmio conquistado pela Nogueira em Colhedora de Forragem

Finalistas:
Nogueira – Campeã
Casale
JF Máquinas
John Deere
Menta Mit


Conjunto Fenação

Assim como em Colhedora de forragem, mais uma vez a Nogueira confirma o tri-campeonato. A New Holland e a Stabra vêm na sequência, com alguma distância da primeira colocada e próximas da John Deere, em quarto lugar. A Kuhn vem um pouco atrás desta. As empresas finalistas foram as mesmas do ano passado, mostrando uma constância no setor. “Prêmio sempre é bom, porém, o Touro de Ouro representa uma coroação de um bom trabalho”, complementa Edson Miquilini, da Nogueira.

Fábio Canella recebe mais uma vez pela Nogueira prêmio das mãos de Rubens Resstel na categoria Conjunto Fenação

Finalistas:
Nogueira– Campeã
John Deere
Kuhn
New Holland
Stabra


Dispositivo para IATF

A Ouro Fino surpreendeu nesta categoria, superando a Pfizer, que tinha ganhado nos dois anos anteriores, mostrando mobilidade nas votações. A Pfizer ficou em segundo, bastante próxima da primeira colocada. A Agener ficou em terceiro, seguida da MSD. Este é um segmento que ganha cada vez mais espaço na pecuária moderna e, por sua vez, necessita de protocolos e produtos afinados com a realidade brasileira. A IATF está promovendo uma verdadeira revolução no Brasil. “Agradeço à Revista AG pelo trabalho. Não só pela realização do prêmio, mas também pela revista em si, que está entre as melhores do segmento”, declarou José Ricardo.

Em Dispositivos para IATF, José Ricardo recebeu o prêmio de Luiz Haffers

Finalistas:
Ouro Fino– Campeã
Biogenesis Bagó
MSD Saúde Animal
Pfizer
Tecnopec


Distribuidor – Misturador de Silagem/Ração

A Casale foi agraciada com o Touro de Ouro pela terceira vez consecutiva, demonstrando a tradição que possui neste segmento da pecuária. A grande novidade foi o destaque para a Sulinox, que apareceu pela primeira vez e já em segundo lugar. “Nos últimos 12 meses, trabalhamos forte, focando na qualidade da produção. Aumentamos a fábrica para atender a demanda do mercado e satisfazer as necessidades dos clientes”, ressalta Erika Casale, responsável pelo marketing da Casale.

Eduardo Hoffmann entrega o Touro de Ouro da categoria Distribuidor e Misturador de Forragem para Erika, da Casale

Finalistas:
Casale – Campeã
JF Máquinas
Kuhn
Siltomac
Sulinox


Empresa de FIV /TE

Esta categoria iniciou em 2010 e já apresenta a sua bi-campeã, a Bioembryo. A Biombryo venceu com certa facilidade, enquanto os demais finalistas ficaram bastante próximos uns dos outros. As técnicas de FIV e TE estão diretamente relacionadas com a multiplicação do nosso dito gado “de elite”, e as empresas e técnicos brasileiros estão entre os melhores do mundo. “Agradeço a todos pelos votos que tivemos, principalmente parceiros, veterinários e clientes. É um reconhecimento que comprova estarmos no caminho certo, pois buscamos sempre atender mais e melhor nossos clientes”, agradece Richard Zagatto Xavier, diretor da Bioembryo.

Pela categoria Empresa de TE e FIV, Richard Zagatto, da Bioembryo, recebeu o prêmio das mãos de Rubens Resstel

Finalistas:
Bioembryo – Campeã
Alta Genetics
Cenatte
CRV Lagoa
Sulinox
In Vitro Brasil
Vitrogen


Empresa de Ins emina ção Artificial

Mais uma vez a CRV Lagoa vence o Touro de Ouro. É o tri-campeonato! E abre uma boa distância para a ABS, em segundo. Em terceiro, segue a Alta Genetics. Vale destacar a Araucária Genética, em quarto lugar, assim como a Select Sires em quinto, bastante próximas entre si. A IA tem crescido muito nos últimos anos, tanto em quantidade de sêmen quanto no percentual de fazendas utilizando a técnica. Ao que tudo indica, o crescimento continua firme em 2012. “É extremamente interessante para nós quando levantamos cedo para desempenhar o nosso serviço. É uma grande satisfação trabalhar com o que gostamos e ainda sermos reconhecidos por isso”, compara Antonino Bosco, da CRV Lagoa.

Antonino Bosco volta ao palanque para receber de Luiz Haffers outro prêmio para a CRV Lagoa. Desta vez, Empresa de Inseminação Artificial

Finalistas:
CRV Lagoa– Campeã
ABS Pecplan
Alta Genetics
Argen
Select Sires


Empresa Leiloeira

Aqui temos novamente uma tri-campeã, a Programa Leilões. A empresa se destaca mais uma vez, mostrando todo domínio dos grandes leilões de gado no país. Em segundo, a Trajano Silva, que tem grande destaque nos estados do Rio Grande do Sul e Mato Grosso do Sul. A Estância Bahia vem colada em terceiro, fazendo jus à fama de promover os maiores leilões do mundo. “Para nós da Programa foi uma grande honra receber essa premiação, a qual conquistamos pelo terceiro ano consecutivo. Sempre trabalhamos e procuramos atender nossos clientes da melhor forma possível. O Touro de Ouro é uma excelente iniciativa porque mostra ao mercado as empresas que estão à frente no setor”, assinala Carlos Santana, diretor da Programa Leilões.

Na categoria Leloeira, Eduardo Hoffmann contempla a Programa Leilões, representada por Carlos Santana

Finalistas:
Programa Leilões – Campeã
Embral
Estância Bahia
Knorr Remates
Trajano Silva
Select Sires


Energético

A Tortuga foi a campeã do Touro de Ouro em Energético, superando a Ouro Fino, que ficou em segundo lugar, invertendo a ordem do ano passado. A Vitafort ficou em terceiro, um pouco distante dos dois primeiros lugares, mas mantendo também uma boa distância de Bayer, Vallée e Dispec. “Estamos lado a lado com o produtor, identificando as necessidades para sua propriedade há mais de 50 anos”, frisa Juliano Sabella, da Tortuga.

Rubens Resstel entrega mais um prêmio a Juliano Sabella, pelo conquista da Tortuga em Energéticos

Finalistas:
Tortuga – Campeã
Bayer
Ouro Fino
Vallé
Vitafort
Dispec


Estimulador de Cio

Pela primeira vez, a Ouro Fino vence nesta categoria, deixando a Tortuga na segunda posição e a MSD em terceira. Notou-se mobilidade nos votos em relação aos anos anteriores. Esta categoria, Empresa de IA e Dispositivos para IATF formam um conjunto de produtos e empresas que estão alavancando em muito a pecuária brasileira, profissionalizando e aprimorando nossos criadores, em busca de um produto cada vez melhor, sejam eles reprodutores, boi, carne ou leite. “Para nós, é muito importante receber mais este reconhecimento”, diz José Ricardo, da Ouro Fino.

Eduardo Hoffmann entrega outro troféu à Ouro Fino, de Marco Rezende, pela conquista em Estimuladores de Cio

Finalistas:
Ouro Fino – Campeã
MSD Saúde Animal
Pfizer
Tortuga
Vallée


Frigorífico

Aqui temos um encontro de verdadeiros titãs. Grandes conglomerados disputando o mesmo segmento – e cada vez menos empresas. Mais uma vez a JBS fatura o Touro de Ouro, deixando Marfrig em segundo e o Minerva em terceiro. Bem mais abaixo, temos o Frigorífico Silva, que vem fazendo um belo trabalho no sul do país, e a BR Foods, união da Sadia com a Perdigão, mais relacionada ao setor avícola e de suínos.

Finalistas: JBS-Friboi – Campeã
BRF - Brasil Foods
Frigorífico Silva
Marfrig
Minerva


Herbicida para Pastagem

Mais uma vez a Dow Agrosciences vence na categoria, e por larga vantagem, tal qual ocorreu em 2010, demonstrando que seu nome, produtos e marketing estão no gosto do pecuarista brasileiro. Monsanto figurou em segundo, seguida pela Nufarm e pela Cheminova. Arysta, Milenia, Nortox e Ouro Fino estão todas empatadas em quinto. “Entendemos como o Touro de Ouro foi feito e por isso ficamos honrados. Temos a certeza de que foi reconhecimento dos clientes, que viram todo o investimento que a Dow tem feito em inovação e tecnologia. Esta iniciativa da revista é louvável, por conseguir reunir os principais players do mercado nos diversos segmentos”, posiciona o gerente de Novos Negócios da Dow Agrosciences, Gustavo Silva.

Pela Dow Agrosciences, Gustavo Silva foi contemplado com o Touro de Ouro de Herbicida para pastagens por Luiz Haffers

Finalistas:
Dow Agrosciences – Campeã
Cheminova
Milenia
Nortox
Arysta
Ouro fino
Monsanto
Nufarm


Leiloeiro

João Gabriel novamente foi o escolhido na categoria leiloeiro, confirmando a preferência dos pecuaristas. Esta categoria é uma das mais pulverizadas, demonstrando que temos grandes leiloeiros por todo o Brasil, peças fundamentais para uma boa comercialização de animais. “Muito bom esse reconhecimento todo do mercado ao trabalho do meu pai. Realmente, é algo muito gratificante”, ressalta Tássio Gabriel, filho de João Gabriel, vencedor na categoria Leiloeiro. Tássio representou o pai no prêmio de 2010 e também em 2011.

Tássio representou o pai João Gabriel, que venceu a categoria Leiloeiro, entregue por Rubens Resstel

Finalistas:
João Gabriel – Campeão
Adriano Barbosa
Fábio Crespo
Marcelo Silva
Paulo Brasil


Mosquicida

Mais uma vez, a Ouro Fino consagra- se como campeã. Na segunda colocação, vem a Tortuga, ambas disparadas na frente. Emboladas em terceiro, quarto e quinto lugares temos Clarion, Pfizer, Champion e Merial. “Mosquicida foi uma categoria na qual temos o Colosso, um produto que possui 40% do mercado junto com Carrapaticida”, relata José Ricardo.

A categoria Mosquicida foi vencida pela Ouro Fino, de José Ricardo, agraciado por Eduardo Hoffmann

Finalistas:
Ouro Fino – Campeã
Champion
Clarion
Merial
Pfizer
Tortuga


Proteinado

A Tortuga é mais uma tri-campeã, desta vez em Proteinado, onde venceu novamente por goleada, deixando Matsuda para trás, seguida de muitíssimo perto pela Premix, que ficou em terceiro. Nutron e Agroquima fecham a lista. “Além do já citado, primamos sempre pela qualidade e tecnologia dos nossos produtos”, argumenta Juliano Sabella, da Tortuga.

João Hilário acolhe prêmio das mãos de Luiz Haffers na categoria Proteinado

Finalistas:
Tortuga – Campeã
Agroquima
Matsuda
Nutron
Premix


Ordenhadeira

Pela terceira vez, De Laval vence o Touro de Ouro em Ordenhadeira. Só que desta vez seguida pela Sulinox, em segundo, passando a Gea, em terceiro, alternando posições em relação ao ano passado. Na sequência, Eurolatte e Fockink, com alguma distância dos três primeiros colocados. Mais uma vez os leitores da Revista AG mostraram grande interesse em assuntos ligados ao leite e fizeram boa votação neste segmento.

Finalistas:
DeLaval – Campeã
Eurolatte
Fockink
GEA
Sulinox


Ração

Nesta categoria, a tri-campeã Supra ainda reina absoluta em Ração, numa disputa muito pulverizada entre empresas regionais e nacionais. Em segundo lugar vem a Premix, seguida de perto pela Socil e Guabi. A Evialis fecha em quinto. “Nos sentimos muito honrados em participar de um prêmio promovido pela Revista AG, que é uma das líderes do mercado, com uma boa participação. Também ficamos felizes por conquistar o Touro de Ouro da categoria Ração. Estamos investindo muito no setor. Inauguramos nossa sétima fábrica no país e sempre buscamos a inovação e a melhoria da produtividade pecuária brasileira”, afirma Guilherme Poerner, representante da Supra.

Rubens Resstel repassa Touro de Ouro da categoria Ração para Guilherme Poerner, da Supra

Finalistas:
Supra – Campeã
Guabi
Premix
Purina
Socil


Sal Mineral

Sinônimo de sal mineral, vai ser difícil alguém bater a Tortuga nesta categoria. Este segmento foi o mais votado entre todos os 35 do Touro de Ouro e destacou, além da Tortuga, a Matsuda, Premix, Azevedo Bento e Minerthal como finalistas. “Com tantos prêmios, vamos montar o rebanho”, brincou Juliano Sabella, da Tortuga.

Juliano Sabella volta ao palanque para receber o prêmio na categoria Sal Mineral para a Tortuga

Finalistas:
Tortuga – Campeã
Azevedo Bento
Matsuda
Minerthal
Premix


Sementes de Pastagem

A Matsuda vence pela terceira vez consecutiva e leva o Touro de Ouro neste segmento. Uma infinidade de empresas foram votadas, qualificando ainda mais todas as finalistas, que ficaram com percentuais de votos bastante próximos, distante apenas do primeiro lugar. “É uma festa bacana, porque vem a coroar as empresas que trabalharam de forma correta, que inovaram na criação de produtos que ajudam o trabalho do produtor no campo. Um fator interessante é que, neste ano, tivemos indicações em outras categorias que não Sal mineral e Sementes para pastagem, como Medicamentos veterinários e Equipamentos agrícolas, segmentos em que a empresa passou a investir”, pontua Eduardo Pontalti, médico-veterinário do departamento técnico de Nutrição Animal da Matsuda.

Edna Matsuda foi homenageada com o Touro de Ouro na categoria Sementes para pastagem por Luiz Haffers

Finalistas:
Matsuda – Campeã
Boi Gordo
Gasparim
Ouro Fino
SOESP


Seringa/Pistola

Aqui temos uma empresa que é totalmente identificada com seu produto, a Höppner, tri-campeã da categoria Seringa/Pistola, com larga vantagem sobre as demais finalistas. Este é um segmento em que poucas empresas atuam, no qual sofrem com a preferência pela Höppner. A Walmur ficou em segundo, longe da primeira, mas também bastante na frente da terceira, a Servi. “Atribuo a lembrança aos 65 anos de mercado da Höppner, com uma qualidade insuperável e uma prestação de serviço junto aos lojistas. Focamos em fornecer sempre os produtos necessários aos pecuaristas”, avalia Luiz Antônio Trevellin Neto, gerente Nacional de Vendas da Höppner.

Luiz Antônio Trevellin recebeu o troféu de Seringa e Pistola de Rubens Resstel para a Höppner

Finalistas:
Höppner – Campeã
FC (Metalúrgica Faulhaber)
Servi
Triângulo
Walmur
Sulinox


Tronco/Brete

No Brasil, um país continental, temos algumas palavras ou termos que às vezes se confundem ou têm significados opostos. Parece ser o caso dos troncos e bretes. Em alguns lugares ou regiões, os pecuaristas se referem ao tronco como brete e vice-versa. Para evitar erros, colocamos os dois nomes. De qualquer forma, seja como for, um nome vem a cabeça da maioria: Coimma, a tri-campeã do Touro de Ouro neste segmento. Em segundo, vem a Irmãos Beckhauser, seguida por Romancini, Açores e Valfran. “Esforçamo-nos para desenvolver produtos de qualidade, que dão mais segurança ao manejo. Evidentemente, procuramos divulgar isso na mídia, e um veículo que tem dado bom retorno é a Revista AG”, destaca José Otacílio, da Coimma.

Eduardo Hoffman concede a José Otacílio o prêmio da categoria Tronco e Brete

Finalistas:
Coimma – Campeã
Açores
Irmãos Beckhauser
Romancini
Valfran


Vacina para Aftosa

Aqui surge outra tri-campeã, a Merial, até agora imbatível em Vacinas para Aftosa. Depois vêm Vallée, Ouro Fino, Pfizer e Eurofarma, respectivamente. Esperamos que no futuro próximo não tenhamos mais esta categoria no Touro de Ouro, em virtude da eliminação do vírus de aftosa no nosso país – e da não mais obrigatoriedade das vacinações. Enquanto isso não acontece, vacinemos todo o gado sem falhas. Segundo Paulo Colla, gerente de Produtos para Gado de Corte da Merial, o setor de vacina de aftosa é um dos mais importantes do país. “A Merial tem o desafio de se manter na liderança desse mercado e trazer cada vez mais um produto de altíssima qualidade para nossos consumidores, que é o que nos diferencia perante o produtor”, comemora.

Rubens Resstel entrega prêmio a Paulo Colla pela conquista da Merial na categoria Vacina de Aftosa

Finalistas:
Merial – Campeã
Inova Biotecnologia Saúde
Animal, empresa do Grupo
Eurofarma e Hertape Calier
Ouro Fino
Pfizer
Vallée


Vacinas

Agora sim, a Pfizer confirma a vitória no Touro de Ouro de 2011 em Vacinas, depois de participar de várias finais. A Vallée ficou em segundo lugar, seguida da Ouro Fino, em terceiro. Fecham a lista Merial e Vencofarma. “Recebemos o prêmio de Vacinas, nosso primeiro na categoria, o que foi uma grande conquista, pois já estamos nesse segmento há muitos anos. No ano passado, vencemos em Dispositivos para IATF”, lembra o gerente de Produtos de Saúde Animal da Pfizer, Mauro Meneghetti.

Mauro Meneghetti acolhe troféu de Eduardo Hoffmann na categoria Vacinas, vencida pela Pfizer

Finalistas:
Pfizer – Campeã
Merial
Ouro Fino
Vallée
Vencofarma


Vagão Forrageiro

Nesta categoria, a Casale vence mais uma vez e leva o segundo Touro de Ouro de 2011. A novidade foi a entrada da Matsuda neste setor, ocasionada pelo lançamento de um novo segmento dentro da empresa. Nogueira, Kuhn e JF fecham os cinco finalistas. “Agradecemos os votos e o reconhecimento do mercado”, agradece Erika Casale.

Erika Casale recebe das mãos de Luiz Haffers o Touro de Ouro da categoria Vagão Forrageiro

Finalistas:
Casale – Campeã
JF Máquinas
Kuhn
Matsuda
Nogueira


Vermífugo

Para finalizar a entrega do Touro de Ouro 2011, a Ouro Fino leva pela segunda vez consecutiva o prêmio na categoria Vermífugo. Em segundo lugar, vem a Tortuga, seguida por Merial, Pfizer e Matsuda. “Este sucesso nas premiações do Touro de Ouro passa por todos os elos da Ouro Fino: equipe de desenvolvimento industrial, produção, marketing, técnicos, comercial e revendas”, conclui José Ricardo, da Ouro Fino.

Encerrando o Touro de Ouro, Marco Rezende recebe para a Ouro Fino o prêmio da categoria Vermífugo de Rubens Resstel

Finalistas:
Ouro Fino – Campeã
Matsuda
Merial
Pfizer
Tortuga
Nogueira

 

Foto final da terceira edição do Touro de Ouro, que, mais uma vez, contemplou 35 categorias