A Granja do Ano – 33 anos da melhor prestação de informações e serviços ao profissional do campo.

Radiografia das principais atividades agrícolas, relação de instituições e empresas do agronegócio brasileiro.

Destaques - Algodão

O empreendedor da pluma BAIANA

Grupo Horita vai manter a área de 36 mil hectares de algodão na safra 2016/17 e projeta produtividade de 300 arrobas/hectare


Grupo Horita

• Sede: São Desidério/BA
• Área de algodão 2015/16: 38 mil hectares
• Produção safra 2016/2017 (previstão): 36 mil hectares
• Área total de agricultura 2015/16: 98 mil hectares
• Área total da agricultura 2016/17 (previsão): 98 mil hectares
• Produção de algodão 2015/16 (previsão): 43 mil hectares de pluma
• Produtividade de algodão 2016/17 (previsão): 300 @/ha


A Granja do Ano — O que o Grupo Horita planeja para o algodão na safra 2016/17?

Walter Horita — Não teremos mudanças significativas para a safra 16/17. Manteremos a área plantada total de 98 mil hectares, sendo 36 mil hectares com algodão e 62 mil com soja. A definição da área a ser plantada com cada cultura passa por análise técnica e de mercado, mas há algumas safras temos mantido o equilíbrio entre 35% a 40% da área ocupada com algodão e 60% a 65% ocupada com soja e milho, apesar de que o milho não foi plantado na safra 2015/16 e, também, não será plantado na safra 2016/17, voltando à nossa matriz produtiva na safra 2017/18.

Como foi a produção, produtividade e rentabilidade na safra anterior visto, sobretudo, as condições climáticas no Oeste baiano?

Em 32 anos que o Grupo Horita planta no Oeste da Bahia, nunca tivemos um ano de clima tão atípico e adverso para todas as culturas plantadas. Fomos alertados pelos institutos de meteorologia que sofreríamos o efeito do mais severo El Niño da história e poderíamos ter chuvas muito abaixo da média, mas nunca imaginamos que seria tão forte e tão prejudicial para a nossa região. As perdas foram da ordem de 30% para a soja e de 40% para o algodão em relação à nossa média esperada. Para a soja ainda houve pequena rentabilidade, mas para o algodão, infelizmente, a receita não cobriu o custo de produção.

Quais as projeções, as perspectivas, do Grupo Horita quanto à rentabilidade da pluma em 2016/17?

Os mesmos institutos de meteorologia apontam para um regime de neutralidade neste momento e de entrada para um ciclo de La Nina a partir dos meses de agosto a setembro, ou seja, para a safra 2016/17, que começaremos a plantar em novembro, teríamos chuvas dentro da normalidade ou até um pouco acima da média para o próximo verão. Além dessa boa notícia, apesar de ser uma previsão, os preços internacionais da soja e do algodão para 2017 estão 15% a 20% acima da média dos preços em 2016.

Procuro divulgar sempre que agricultura, por ser uma atividade dependente do clima e do investimento de longo prazo na melhoria do solo, não se faz com um ano, mas a cada ano! E isso a história nos mostra que apesar da alternância dos ciclos bons e ruins a agricultura brasileira é a atividade econômica que mais tem crescido e demonstrando sua importância econômica e social nas últimas décadas. Por isso tudo, acredito que a safra 2016/17 pode ser muito auspiciosa não somente para os produtores de algodão, mas para todos os agricultores brasileiros.

O atual momento político e econômico conturbado do País tem refletido o agronegócio, sobretudo no segmento do algodão?

A insegurança política e econômica desestimula os investidores em todas as áreas. Apesar de o agronegócio ser o segmento menos afetado, também tem sofrido muito com o atual momento que estamos passando, mas acredito em melhoras a partir do último trimestre deste ano, seguindo para os anos futuros.

Quais são as ações ambientais que o Grupo Horita promove em suas propriedades que o senhor gostaria de ressaltar?

A ordem dentro do Grupo Horita é que se cumpra integralmente a legislação ambiental vigente e para que isso seja consistente é necessário que todos estejam convencidos dos benefícios para a sociedade no médio e longo prazo. Para alcançar esse objetivo realizamos ciclos de palestras regulares com todos os funcionários e temos sentido o crescimento da conscientização e do comprometimento de todos na realização das suas atividades utilizando as melhores práticas ambientais.

Walter Horita é sócio proprietário do Grupo Horita