A Granja do Ano – 33 anos da melhor prestação de informações e serviços ao profissional do campo.

Radiografia das principais atividades agrícolas, relação de instituições e empresas do agronegócio brasileiro.

Destaques - Defensivos Agricolas

INOVAÇÃO para cuidar das plantas

Com tecnologias e serviços para facilitar os processos no campo, a Bayer trabalha ao lado do produtor no combate aos inimigos da lavoura


Bayer divisão Crop Science

• Sede: São Paulo/SP
• Número de funcionários no Brasil: 4,3 mil (1.950 em Crop Science)
• Atuação mundial: 120 países
• Funcionários no mundo: 117 mil (23.496 em Crop Science


A Granja do Ano — Quais são os mais recentes investimentos e projetos da Bayer divisão Crop Science no Brasil?

Rafael Villarroel - A Bayer é uma empresa de ciências da vida, por isso, investe em soluções e produtos focados na saúde humana e animal e para alavancar a agricultura sustentável, trazendo novas tecnologias que contribuam para que o produtor rural brasileiro possa gerar mais alimentos, fibras para tecidos e energia renovável. Um dos destaques foi a inauguração, em novembro de 2015, de novos laboratórios de Monitoramento de Resistência a Fungicidas, Herbicidas e Inseticidas (FHI) e do Centro de Tecnologia de Aplicação, que demandaram investimentos na ordem de R$ 31 milhões.

Os novos espaços atendem as necessidades da agricultura do Brasil e de outros países da América Latina, integrando o Centro de Expertise em Agricultura Tropical (Ceat), com sede em Paulínia/SP. A Bayer também investe no desenvolvimento de parcerias com diferentes agentes do setor. Foi assim que surgiu a Rede AgroServices, uma plataforma colaborativa que conecta o agricultor aos prestadores de serviços. Também temos investimento contínuo em parceria com professores, universidades e órgãos de pesquisa, que há cinco anos atuam juntos por meio da Academia Bayer de Inovação para o desenvolvimento de tecnologias.

Quais são os principais desafios da agricultura brasileira quando falamos em proteção de plantas?

A população mundial aumenta de forma exponencial, e o maior desafio da agricultura hoje é produzir mais e melhor. Isso significa aumentar cada vez mais a produtividade sem deixar de lado a qualidade dos alimentos e a sustentabilidade da lavoura. Essa não é uma missão fácil, os desafios dos produtores começam na busca pela melhor maneira de lidar com a natureza, enfrentar as mudanças climáticas – chuvas e secas fora de época – e prevenir o ataque de pragas e doenças que todos os anos trazem grandes prejuízos.

Quais as principais inovações em produtos e tecnologias que a Bayer apresentou ao mercado brasileiro nos últimos anos?

Em 2016, a Bayer aprimorou seu portfólio e trouxe para o mercado uma nova tecnologia geneticamente modificada, novas moléculas e a sua própria marca de sementes de soja, a Credenz. Essas tecnologias foram desenvolvidas com base na expertise da empresa na cultura da soja, integrando assim genética diferenciada, uma grande e inovadora plataforma de traits (tecnologias), além das soluções Bayer já conhecidas no mercado.

A tecnologia LibertyLink, por exemplo, inserida em 11 variedades de soja distribuídas entre as marcas de sementes de soja da Bayer, permite o uso do herbicida Liberty em pósemergência, para o manejo de plantas daninhas, sem prejudicar as plantas de soja. Já na linha de defensivos agrícolas, a Bayer lançou este ano o Alion, herbicida pré-emergente que atua diretamente no solo.

Além do desenvolvimento de produtos, quais as estratégias e serviços que a Bayer utiliza para auxiliar os produtores no trabalho de defesa da lavoura?

Para oferecer um conjunto integrado de soluções, a Bayer vai além da venda de produtos e atua lado a lado com o produtor rural. Uma das ferramentas para isso é o Programa de Pontos, por meio do qual os clientes Bayer podem resgatar serviços agronômicos como o de agroespecialistas, mapeamento de nematoides, viagens técnicas, entre outros. Outro exemplo é a parceria para o treinamento e capacitação no uso de Equipamentos de Proteção Individual.

Os fatores potenciais de risco são os mais diversos, por isso a empresa contribui para o entendimento do risco envolvido no dia a dia do trabalhador rural, além de alertar e conscientizar sobre a importância do uso do EPI para prevenção de acidentes. O mais importante nesse cenário é a proximidade que nós conquistamos e isso nos permite conhecer o agricultor e trazer novidades que ajudam na produtividade e na gestão.

Rafael Villarroel é diretor de Operações da Bayer divisão Crop Science