A Granja do Ano – 33 anos da melhor prestação de informações e serviços ao profissional do campo.

Radiografia das principais atividades agrícolas, relação de instituições e empresas do agronegócio brasileiro.

Destaques - Plataformas

Versatilidade para gerar EFICIÊNCIA

Equipamentos desenvolvidos pela Stara oferecem ao produtor a capacidade de aprimorar o desempenho nas operações agrícolas


Stara S/A Indústria de Implementos Agrícolas

• Sede: Não-Me-Toque/RS
• Número de funcionários: aproximadamente 2 mil
• Vendas em 2015: redução de 25% em relação a 2014
• Expectativa de vendas para 2016: redução de 10% em relação a 2015


A Granja do Ano — Quais são os mais recentes lançamentos da Stara no mercado brasileiro?

Gilson Trennepohl - São nos momentos de grande dificuldade que temos que ter um desempenho superior, e os investimentos precisam ser racionalizados. Ao apresentar a linha 2016, nós levamos ao mercado produtos de alto valor agregado e com alto desempenho. Nunca na nossa história trabalhamos tanto para desenvolver produtos que são referência em plantio e em distribuição. Um dos destaques é o Imperador 3.0, autopropelido que reúne um pulverizador com barras centrais e um distribuidor, podendo realizar as duas operações com o mesmo equipamento em momentos distintos. Tanta inovação traz ao produtor maior eficiência nos trabalhos de sua lavoura, além da redução dos custos operacionais.

O Imperador 3.0 permite o parcelamento das aplicações de fertilizantes e defensivos, tudo isso com a manutenção do mesmo rastro, garantindo mais agilidade, rapidez e eficiência nas aplicações. Outro equipamento de destaque é a plataforma para milho Brava +, que foi projetada para realizar a colheita das mais diversas variedades de milho com eficiência, qualidade e segurança. A máquina chega ao mercado com um design totalmente novo. A carenagem lateral evita que os pés de milho das extremidades sejam jogados para fora da máquina, tornando-a mais eficiente no momento da colheita.

Também saliento o Hércules 6.0, que é o maior distribuidor autopropelido produzido no Brasil, com design arrojado e inovador, e a Princesa, plantadora indicada para o cultivo de milho, soja e algodão. A máquina tem como diferencial a vantagem de ser articulada e contar com a distribuição de sementes e fertilizantes, disponível nos modelos com 16, 18 ou 20 linhas de plantio (com espaçamento de 45 cm).

De que forma os equipamentos da Stara contribuem para o incremento da produtividade nas lavouras brasileiras?

Reduzindo custos e aumentando produtividade. O fato de uma máquina ter dupla função, por exemplo, consegue ser muito mais eficiente na fazenda, porque quando o produtor não estiver fazendo aplicação de granulados, poderá estar fazendo a pulverização. Também é preciso destacar a evolução das nossas plantadeiras, plantio grão a grão, com alta capacidade e eficiência, atingindo números nunca vistos no Brasil.

Qual a sua avaliação sobre o momento do mercado de máquinas agrícolas no Brasil?

O momento é difícil, como podemos observar em todos os setores. O agro da porteira para dentro não vive os mesmos problemas que o País vive, porque tem um retorno razoavelmente bom, ainda que a colheita tenha sofrido com problemas climáticos em algumas regiões. Ainda assim, a grande maioria dos produtores trabalhou com bons resultados. Acho que no momento em que a confiança política e nas instituições retornar, teremos uma grande evolução e voltaremos a crescer em números significativos.

Quais as suas perspectivas para a safra 2016/2017 no Brasil?

Precisamos que o crédito chegue ao produtor, que os bancos invistam na nova safra. O produtor está muito bem intencionado na busca de produtividade e na busca de qualificar sua produção. Temos o clima que sempre é uma grande variável, mas isso é por conta de São Pedro. Nós trabalhamos a céu aberto e lamentavelmente não temos um seguro agrícola eficiente, principalmente em algumas regiões com maior risco. Mesmo assim, acredito que deveremos ultrapassar as 200 milhões de toneladas, e o agronegócio continuará sendo o grande propulsor da economia brasileira.

Gilson Trennepohl é diretor presidente da Stara