A Granja do Ano – 33 anos da melhor prestação de informações e serviços ao profissional do campo.

Radiografia das principais atividades agrícolas, relação de instituições e empresas do agronegócio brasileiro.

Seguros

O produto que gera TRANQUILIDADE

O Grupo Banco do Brasil e Mapfre segura diferentes lavouras, além de oferecer o seguro-faturamento e seguros patrimoniais

A Granja do Ano — Quais os principais produtos do Grupo Banco do Brasil Mapfre para o segmento agropecuário?

Wady Cury — Os produtos ofertados pelo Grupo Segurador Banco do Brasil e Mapfre têm por objetivo dar tranquilidade ao produtor rural e às empresas e instituições atuantes no setor agro para a continuidade do seu negócio, seja por frustração de safra, quebra de equipamentos, entre outros. Dentre os produtos rurais que oferecemos cabe destaque aos produtos agrícolas para as culturas de grãos: soja, milho primeira e segunda safra, trigo, arroz, algodão, café, vários cultivos de frutas e hortaliças, assim como para florestas.

Wady Cury é diretor de Seguros Rurais do Grupo Segurador Banco do Brasil e Mapfre

Na modalidade agrícola, comercializamos o segurofaturamento, onde o produtor pode ser indenizado com a diferença entre o faturamento previsto e o efetivamente obtido com sua produção. Temos também seguros patrimoniais para máquinas e equipamentos agrícolas, assim como para a grande maioria das benfeitorias dos produtores. Ofertamos, ainda, os seguros de vida ao produtor rural, cujo objetivo é liquidar a dívida do produtor quando da cobertura junto ao agente financeiro.

E quais os benefícios do produtor em contratar estes produtos?

Eventos climáticos adversos podem comprometer o resultado da colheita, por isso é tão importante contratar o seguro. O mercado oferece um amplo portfólio de soluções rurais, com produtos que englobam diversos riscos em uma única cobertura (como seca, geada, granizo, chuva excessiva, etc.) ou, ainda, riscos nomeados, em que o segurado escolhe apenas as coberturas que correspondem aos eventos climáticos aos quais está mais suscetível. Dependendo da cultura, o produtor também pode optar por seguros em que a quantidade e/ou qualidade da produção é segurada.

O primeiro indeniza quando a colheita é inferior à média histórica obtida. O segundo, mais comuns para frutas e hortaliças, baseia a indenização nos critérios de avaliação de perda de qualidade da produção comercializada. Há ainda os seguros que consideram a variação do preço como um risco coberto associado aos riscos climáticos e têm sido disponibilizados para culturas que possuem referencial de preço em mercado futuro, disponível para a cultura da soja.

Quais são os principais objetivos e metas do Grupo Banco do Brasil Mapfre em relação ao segmento agrícola para o restante de 2015 e para 2016?

Nossos objetivos continuam sendo os de impulsionar a adesão dos produtores rurais brasileiros às apólices de seguros agrícolas como ferramenta de proteção de suas lavouras contra eventos da natureza e de segurança de culturas essenciais à economia e à população brasileira. Hoje, apenas uma parcela que não chega a 10% da produção nacional tem cobertura de seguro rural, o que representa, por um lado, oportunidades na área de seguros, mas, por outro, revela uma enorme lacuna na proteção das lavouras no agronegócio.

E quais as mais relevantes conquistas que o senhor gostaria de destacar da empresa, especialmente no segmento agropecuário?

Nesta última safra, pudemos ajudar os produtores em situações difíceis, impactados pela seca que atingiu especialmente os estados do Paraná, São Paulo, Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Minas Gerais e Goiás. Mobilizamos equipes que se deslocaram para as localidades atingidas e ofereceram apoio, informações e agilizaram as perícias e avisos de sinistro.

Isso evidencia o caráter de proteção social que a modalidade representa. Recentemente lançamos também o seguro para grandes produtores rurais, cuja vantagem é avaliação da área rural em lotes distintos, de acordo com a produtividade, o que facilita uma composição de preço mais vantajosa para os produtores; e o seguro agrícola, que protege os cafezais brasileiros, modalidade inédita de seguro.