A Granja do Ano – 34 anos da melhor prestação de informações e serviços ao profissional do campo.

Radiografia das principais atividades agrícolas, relação de instituições e empresas do agronegócio brasileiro.

Produtor de Soja

Soja do TAMANHO do Brasil

A SLC Agrícola cultivou a imensidão de 207 mil hectares da oleaginosa na recente safra e a estratégia é aumentar

O que a SLC Agrícola projeta para a soja na safra 2015/16?

Aurélio Pavinato — A soja tem representado em torno de 50% a 55% da área cultivada pela nossa companhia nos últimos anos. Na safra 2014/15 foram 207 mil hectares. Nossa estratégia é de continuar ampliando a área plantada em todas as nossas culturas nos próximos anos. No momento estamos priorizando o fortalecimento do nosso balanço para entrarmos em breve em uma nova rodada de crescimento mais vigoros, de forma que o nosso crescimento deverá ser um pouco menor no próximo ano. No entanto, temos forte convicção nos pilares de demanda pela oleaginosa e na expansão de produção que será necessária, e que virá principalmente do Brasil, e nós somos partícipes desse processo.

Nos últimos dez anos a demanda mundial por grãos cresceu em torno 3% ao ano, enquanto que a produtividade cresceu em torno de 0,8% ao ano, demandando expansão na área plantada. Cultivamos soja em seis estados, todos inseridos na região do Cerrado. Nossa meta é continuar expandindo a área plantada nessa região, mantendo nossa estratégia de diversificação geográfica para mitigar os riscos climáticos. No início de outubro vamos divulgar ao mercado quanto será a área plantada na safra 15/16, de acordo com nosso padrão histórico de divulgações.

Os custos de produção são recordes para a safra 2015/16. O que a SLC Agrícola faz para controlar e reduzir os custos de produção da oleaginosa?

Na safra 2014/15 o nosso custo de produção aumentou apenas 1,5% em relação ao ano-safra anterior na soja, apesar da expressiva desvalorização cambial e inflação entre os períodos. A nossa companhia tem uma criteriosa gestão de custos, com foco em todos os processos, desde a aquisição dos insumos até a entrega aos nossos clientes. A SLC Agrícola tem um posicionamento estratégico buscando sempre a máxima eficiência operacional. Analisamos todos os nossos custos de produção de uma forma ampla, onde os elementos estratégicos são balizadores, sendo a gestão de custos um reflexo das decisões gerenciais.

Aurélio Pavinato é diretor presidente da SLC Agrícola

Quanto à rentabilidade da soja em 2015/16, quais são hoje as projeções e estimativas do corpo gerencial da SLC Agrícola a ser compartilhado com os demais produtores brasileiros?

Os preços da soja em dólar atravessam um período de pelo menos três trimestres de relativa estabilidade. O crescimento da produção nos Estados Unidos e na América do Sul na safra 2014/15 está sendo contrabalanceado por uma demanda bastante firme do mercado asiático, sustentando os preços na faixa de US$ 9 a US$ 10,5 por bushel. As lavouras norte-americanas da safra 2015/16 já estão na fase final da fase de floração e início de formação de vagens, e as condições até agora se apresentam favoráveis, o que fortalece a visão de que as cotações permaneçam nesse patamar até a definição e evolução da safra na América do Sul.

No Brasil, no entanto, a valorização do dólar frente ao real é muito positiva e no momento mais do que compensa a queda dos preços da soja em Chicago ao longo do ano passado. A rentabilidade da soja para a safra 2015/16 deverá ser similar à da safra 2014/15, possivelmente até um pouco superior, se mantida essa taxa de câmbio de R$ 3,50. No entanto, restrições de crédito e aumento no custo do dinheiro deverão frear o crescimento em área plantada que temos visto na última década no Brasil.