A Granja do Ano – 34 anos da melhor prestação de informações e serviços ao profissional do campo.

Radiografia das principais atividades agrícolas, relação de instituições e empresas do agronegócio brasileiro.

Defensivos Agrícolas

Contra os INIMIGOS da lavoura

Tecnologia da Syngenta atende as demandas do produtor brasileiro na hora de proteger a plantação

A Granja do Ano - A Syngenta é uma grande empresa, com atuação em muitos países. Como a companhia avalia seus negócios no Brasil e qual é a participação do País nos resultados da empresa?

Laércio Giampani - O Brasil é cada vez mais importante para a corporação e já somos o principal mercado em proteção de cultivos. Hoje temos 3 mil funcionários no País e 14 unidades distribuídas pelo território nacional. Esse crescimento estratégico está refletido também em diversas outras ações, como o recente investimento de US$ 77 milhões para a quadruplicação de nossa unidade de processamento de sementes em Formosa/GO. Também tivemos a escolha de Brasília como uma das cinco cidades no mundo que sediaram os eventos de lançamento do The Good Growth Plan, uma iniciativa global que irá contribuir para o aumento da segurança alimentar.

Com a sua agricultura tropical, o Brasil enfrenta diversos desafios na hora de proteger a lavoura de pragas, doenças e plantas daninhas. Como a Syngenta trabalha para se manter atualizada e oferecer diferentes tipos de soluções para o produtor?

Primeiramente, somos uma das empresas que mais investe em pesquisa e desenvolvimento em todo o setor. Só no ano passado, foram investidos US$ 1,7 bilhão, o que representa cerca de 10% de nosso faturamento. Somos também a empresa pioneira em oferecer tecnologias e serviços de uma maneira integrada. Nossa estratégia para isso é manter a proximidade com o agricultor, entender suas necessidades e pensar como ele no momento em que desenvolvemos essas soluções. Contamos ainda com uma equipe de 500 agrônomos no campo, que estão presentes em todo o País, além de uma extensa rede de distribuidores treinados e capacitados.

Quais são as mais recentes novidades da empresa em defensivos agrícolas e o que a Syngenta prepara de lançamentos para a safra 2014/ 2015?

Esse ano, realizamos o maior lançamento da história de nosso portfólio de defensivos com a introdução de Elatus, o novo fungicida desenvolvido com foco no agricultor brasileiro. A tecnologia é capaz de proporcionar uma eficiência jamais vista no controle da ferrugem e das principais doenças da soja, trazendo mais produtividade e mais renda para os produtores. A safra 2014/2015 será a primeira em que os sojicultores poderão contar com o produto e temos plena confiança que os resultados serão impressionantes. Além disso, estamos bastante entusiasmados com outros lançamentos em sementes, biotecnolgia e tratamento de sementes, que serão anunciados em breve.

De que forma a empresa aborda e incentiva as boas práticas agrícolas e ações de sustentabilidade entre seus clientes e parceiros?

Garantir a segurança alimentar por meio de uma agricultura sustentável é uma tarefa desafiadora e acreditamos que isso somente poderá ser alcançado se houver o diálogo e a participação dos diferentes segmentos da sociedade. Para isso, lançamos The Good Growth Plan, uma iniciativa ambiciosa da empresa para contribuir com a produção de alimentos em todo o mundo, por meio de seis compromissos mensuráveis, até 2020. Entre as metas estabelecidas para o Brasil está aumentar em 20% a produtividade de culturas importantes como a soja, a cana-de-açúcar, o milho, o café e o tomate. Temos ainda ações voltadas para a recuperação de terras degradadas e treinamentos de segurança para mais de 160 mil agricultores.

Laércio Giampani é diretor-geral da Syngenta no Brasil