A Granja do Ano – 34 anos da melhor prestação de informações e serviços ao profissional do campo.

Radiografia das principais atividades agrícolas, relação de instituições e empresas do agronegócio brasileiro.

Bancos

Parceiro de sol à irrigação

Banco do Brasil reservou R$ 70 bilhões para operações de crédito rural na safra 2013/14, volume 27% superior ao da temporada anterior

A Granja do Ano — Quais foram os principais avanços no Plano Agrícola e Pecuário 2013/14 em relação ao anterior e as melhorias que o produtor vai encontrar ao buscar apoio no Banco do Brasil?

Osmar Dias — O Banco do Brasil desembolsou, na safra 2012/13, R$ 61,5 bilhões em operações de crédito rural, incremento de 28% em relação à safra anterior. Tal desempenho reforça a nossa parceria com o agronegócio brasileiro, apoiamos os produtores rurais, as suas cooperativas e, também, as empresas da cadeia do agronegócio, financiando diversos itens necessários à produção, comercialização e para a modernização do setor. Neste sentido e para atender as demandas da safra 2013/14, o Banco do Brasil está destinando R$ 70 bilhões para operações de crédito rural. Este volume representa o crescimento de 27% em relação ao inicialmente planejado para a safra passada. Além dos recursos para custeio, investimento e comercialização, estão disponíveis financiamentos para a estocagem de grãos, através do Programa para Construção e Ampliação de Armazéns (PCA), destinado a apoiar até 100% do valor do investimento necessário para a ampliação e a construção de novos armazéns, com encargos de 3,5% ao ano e prazo de pagamento de até 15 anos.

Osmar Dias é vice-presidente de Agronegócios e Micro e Pequenas Empresas do Banco do Brasil

Fale sobre o apoio específico ao médio produtor?

Visando à continuidade da política de apoio ao médio produtor rural, incrementamos o volume de crédito e estamos destinando R$ 10,1 bilhões para atender os produtores enquadrados no Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp), com taxas de juros de 4,5% ao ano. Robustecemos o compromisso do Banco do Brasil no processo de difusão e incentivo a uma agricultura sustentável, designando R$ 4 bilhões para o Programa ABC (Agricultura de Baixo Carbono). Este aporte representa um crescimento de 167% em relação aos R$ 2,6 milhões desembolsados pelo BB na safra 2012/ 13. Disponibilizamos, também, o Inovagro, o Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica na Produção Agropecuária, destinado a apoiar investimentos necessários à incorporação de inovação tecnológica nas propriedades rurais, visando ao aumento da produtividade, financiando até R$ 1 milhão por beneficiário (e até R$ 3 milhões em empreendimento coletivo), com encargos financeiros de 3,5% a.a. e prazo de pagamento de até 10 anos.

Além de disponibilizar crédito, o que mais o produtor encontra no Banco do Brasil para facilitar a realização das suas safras e ainda investir para melhorar o seu negócio?

O Banco do Brasil oferece atendimento diferenciado a todos os clientes. Para isso, implementa processos de segmentação com carteiras conduzidas e gerenciadas por profissionais treinados para apresentar as melhores soluções aos produtores rurais através de auxílio e consultoria nas suas atividades financeiras em todos os ciclos da sua atividade. Unificamos a gestão dos clientes e de produtos destinados aos ramos cooperativos em uma mesma estrutura. Essas ações propiciaram melhora no tempo de respostas e maior satisfação aos nossos clientes. Os produtores rurais encontram no Banco do Brasil as melhores soluções para mitigar riscos de produção e de preço. Para os riscos de produção o BB oferta o Seguro Agrícola e o Proagro. Para a safra 2013/14, lançaremos o seguro agrícola para batata inglesa, feijão, sorgo e cevada, ampliando a quantidade de culturas amparadas pelo seguro. Quanto aos riscos de preços das commodities, disponibilizamos mecanismos que minimizam riscos associados às flutuações de preço, como Contrato a Termo, Contrato Futuro e Contrato de Opções. O Banco do Brasil também disponibiliza aos produtores rurais o Seguro Agrícola Faturamento, que visa garantir sua renda, protegendo-o, ao mesmo tempo, contra intempéries climáticas e flutuações de preços da sua produção.