A Granja do Ano – 34 anos da melhor prestação de informações e serviços ao profissional do campo.

Radiografia das principais atividades agrícolas, relação de instituições e empresas do agronegócio brasileiro.

Silos e Armazenamento

 

Garantia depois da colheita

Com equipamentos cada vez mais eficientes e seguros, a Kepler Weber oferece soluções completas para o produtor armazenar a safra

A Granja do Ano - Nos últimos anos, qual foi o comportamento do mercado de armazenagem de grãos no Brasil?

Olivier Colas - Ao longo dos anos 2000, o déficit de armazenagem aumentou muito. De 2010 até agora, existe uma tendência de diminuição desse déficit, pois, apesar do aumento da safra, houve uma aceleração da comercialização dos equipamentos de armazenagem. E isso se deu devido à política do Governo e às baixas taxas de juros para a compra de equipamentos agrícolas.

Quais os grandes desafios para o crescimento do setor?

Através do Plano Safra, o Governo demonstrou sua decisão de apoiar o setor com mais força e no tempo certo. Os R$ 25 bilhões que serão disponibilizados darão um gás adicional para o mercado de armazenagem. Hoje, o desafio é o setor agrícola tirar proveito dessas medidas, ou seja, não deixar o trem passar. O Governo e os fabricantes de equipamentos fizeram a sua parte, agora o mercado tem que aproveitar essa oportunidade de investir. Outro desafio importante é a modernização do escoamento da safra, juntamente com o desenvolvimento do setor de armazenagem. Não adianta só armazenar se o custo para o produto chegar ao porto é caríssimo. É necessário baratear o custo do escoamento da safra.

Quais são os principais destaques e diferenciais da nova geração de silos lançada pela Kepler Weber em maio deste ano?

A Nova Geração de Silos Kepler Weber tem a proposta de atender a necessidade de armazenar quantidades cada vez maiores e, ao mesmo tempo, garantir a segurança operacional e a qualidade do produto estocado. Além das novidades na concepção estrutural, a nova linha traz diferenciais, como um portfólio mais completo, incluindo silos de alta capacidade (de até 25 mil toneladas); a preocupação com a qualidade do grão e a preservação de seus atributos nutricionais; o atendimentos às normas vigentes com dispositivos que garantam uma operação segura e, por último, a adequação às normativas de dimensionamento, projeto e segurança dentro dos principais padrões mundiais. Na concepção da nova geração de silos, a empresa considerou uma série de itens e melhorias importantes. O desenvolvimento de silos com maiores capacidades exigiu uma análise precisa de toda a rigidez estrutural do produto, visando suportar os esforços físicos solicitados e garantindo um equipamento seguro e durável. A utilização de um maior número de montantes por chapa, por exemplo, será aplicada. A tendência de mercado são silos metálicos com maior número de chapas laterais ampliando a altura e, consequentemente, o volume estático. A ampliação das capacidades de armazenagem em silos metálicos também exige dispositivos diferenciados para a segurança operacional: escadas caracol, acessos (portas) que permitam fácil entrada e saída de pessoas, descarga lateral, rosca varredora com trator de movimentação, vedações eficientes e cobertura de zinco para evitar desgaste precoce de chapas. Além dos ganhos de capacidade, a nova geração apresenta a proposta de uma armazenagem com melhores condições de conservação, através de ganhos de eficiência na convenção natural do ar e respiração dos grãos dentro do dispositivo; maior proteção contra infiltrações e potencialização dos processos de fumigação contra o ataque de pragas, fungos e roedores, e a manutenção das condições ideais de temperatura e de umidade da massa de grãos.

Quais são os principais projetos e objetivos da empresa neste ano e em 2014?

O crescimento extraordinário da safra criou novas exigências, tais como equipamentos de maior capacidade, maior automação e prazos mais apertados de produção e montagem. Para atender essa demanda, a companhia aumentou em 30% sua verba de investimentos em 2012, focando na modernização do parque fabril e na inovação de produtos. Esse nível de investimento será mantido em 2013. Paralelamente, todas as áreas da empresa estão passando por processos de mudança e adaptação de seus processos à nova realidade do mercado. As medidas deverão assegurar a liderança da Kepler Weber em volume e rentabilidade.

Olivier Colas é vice-presidente da Kepler Weber