A Granja do Ano – 34 anos da melhor prestação de informações e serviços ao profissional do campo.

Radiografia das principais atividades agrícolas, relação de instituições e empresas do agronegócio brasileiro.

Colheitadeiras

Inteligência na colheita

John Deere investe mais de US$ 1 bilhão por ano em soluções que ajudam a melhorar o desempenho econômico do produtor

A Granja do Ano - A John Deere acompanha a evolução da agricultura brasileira há muito tempo. Nas últimas décadas, quais foram as principais evoluções e tecnologias incorporadas às máquinas de colheita?

Paulo Herrmann - Durante as últimas décadas, as colheitadeiras ganharam não só em tamanho, mas também em produtividade. Foram incorporadas plataformas de corte maiores e componentes que as deixaram mais eficientes. Outra tendência que diminuiu os índices de perdas na lavoura e aumentou a qualidade do grão foi o foco no desenvolvimento de colheitadeiras com sistema de trilha e separação rotativo. Tecnologias como AMS (Soluções em Gerenciamento Agrícola) também auxiliaram a mapear a produtividade da lavoura. O AMS possibilita correções de erros via satélite, monitoramento 24 horas por dia e funciona em qualquer parte do Brasil e do mundo.

Como as colheitadeiras fabricadas pela John Deere colaboram para o incremento dos índices de produtividade nas lavouras brasileiras?

O portfólio da John Deere é o mais completo do mercado brasileiro e está em constante evolução. Mundialmente, a empresa investe, em média, US$ 3 milhões por dia em inovação, o que representa um valor superior a US$ 1 bilhão ao ano. Dessa maneira, a John Deere está preparada para oferecer soluções integradas capazes de atender às diferentes necessidades do agricultor, que ganha em investimento total e em custo operacional do maquinário, melhorando a produção e o desempenho econômico da sua propriedade. Desde 1990, houve um incremento na produção agrícola de 186% e um aumento de apenas 36% nas áreas cultivadas. Esses números não seriam possíveis sem inovação tecnológica.

Quais são as mais recentes novidades apresentadas pela empresa em colheitadeiras e o que os produtores podem esperar para os próximos meses?

Recentemente, a grande novidade anunciada em colheita foi a plataforma flex draper. Ela tem uma superfície maior de corte, que proporciona uma alimentação mais eficiente quando comparada a plataformas de sem-fim. Para o futuro, estamos desenvolvendo colheitadeiras cada vez mais interativas e "inteligentes", que auxiliarão o operador na tomada de decisões com base em recomendações da própria colheitadeira. A máquina também irá compartilhar informações com outros equipamentos, com a sede (gestão) da fazenda e, até mesmo, com o concessionário.

Como está o mercado de colheitadeiras, considerando os negócios realizados no País e as vendas ao exterior?

A John Deere vem participando do crescimento do agronegócio no Brasil nas últimas três décadas e, hoje, passa por um momento especial de consolidação e crescimento estratégico no País. Diante do aumento da demanda global por alimentos, a empresa vê um grande potencial na agricultura brasileira. Os números da Anfavea apontam que a venda de colheitadeiras da John Deere cresceu exponencialmente em relação a 2012. A comparação de junho de 2013 com 2012 aponta para um crescimento de 228,8%; já no período de janeiro a junho de 2013 x 2012, o crescimento é de 94,2%. Vários fatores contribuem para este crescimento. Além do preço das commodities, juros baixos e boa produção, em nosso ramo existem outros fatores que são fundamentais para assegurar aumento de vendas, como disponibilidade de produtos, rede de concessionários e competitividade. A rede de concessionários é um diferencial que a empresa está construindo ao longo dos anos, com a ampliação e a qualificação de nossa rede, assegurando estrutura e capacitação para os novos revendedores. A John Deere vem aumentando os pontos de venda no Brasil, proporcionando, assim, mais proximidade e agilidade no atendimento ao agricultor. Em 1997, eram 140 pontos de venda e, hoje, são 252. E a competitividade é alcançada ao oferecermos ao cliente um produto de qualidade superior e condições de funcionamento para que ele possa tirar o máximo em sua operação.

Paulo Herrmann é presidente da John Deere e vice-presidente de Marketing e Vendas para América Latina