A Granja do Ano – 34 anos da melhor prestação de informações e serviços ao profissional do campo.

Radiografia das principais atividades agrícolas, relação de instituições e empresas do agronegócio brasileiro.

Pecuária de Corte - CFM

<

Genética em constante evolução

Pioneirismo da CFM em melhoramento do rebanho leva mais eficiência econômica para as fazendas

A Granja do Ano - Qual é a atuação e abrangência do programa de melhoramento genético da CFM no Brasil e no exterior?

Geraldo T. Martins – A CFM atua no Brasil desde 1908, sempre com foco empresarial e busca da melhor eficiência econômica das suas fazendas. Nosso programa de seleção de touros foi o primeiro na raça Nelore a ser aprovado pelo Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) para a emissão do CEIP (Certificado Especial de Identificação e Produção), com início em 1980 e base em índices produtivos e econômicos da performance dos animais. Já produzimos, fechada a última safra de touros, quase 33 mil touros para atender à necessidade de reposição da CFM e também de nossos clientes. Devido a estes fatores, a CFM tem clientes em 19 estados brasileiros e em dois estados paraguaios. Isso tudo sem contar o mercado de inseminação artificial, onde já produzimos cerca de 1,5 milhão de doses de sêmen para uso interno ou comércio através das diversas centrais do mercado. Dentre as conquistas mais recentes, estamos consolidando uma parceria comercial com uma empresa paraguaia, importante distribuidora de produtos veterinários e de nutrição, para ser a representante comercial da CFM no país.

Quais são os diferenciais do trabalho de melhoramento genético realizado pela CFM?

Entre nossos diferencias podemos citar o maior tempo que temos de formação de banco de dados e seleção com critérios técnicos e ligados à performance econômica do rebanho. Por ter um único proprietário, e não um condomínio ou grupo de produtores, a qualidade do banco de dados da CFM é indiscutível, colaborando, e muito, na qualidade das informações e, consequentemente, no resultado da avaliação genética, as famosas DEPs – Diferença Esperada na Progênie. A CFM também foi a primeira empresa a fazer as avaliações visuais de carcaça: conformação, precocidade e musculosidade. Tanto que temos o grande diferencial de ser uma das principais fontes de genética para os demais programas de CEIP do mercado, com cerca de um terço dos nossos touros ou filhos de touros CFM colocados entre os primeiros ranqueados dos demais sumários CEIP do mercado. Nossos touros também são utilizados, em média, com o dobro de intensidade que os demais.

Quais são as metas e os projetos da empresa para os próximos meses?

Estamos em pleno início do novo plano interno de cinco anos, com a conclusão da transferência das matrizes CFM para as fazendas localizadas no Mato Grosso do Sul e no sudoeste da Bahia e, nesta fase, os investimentos estão alocados para intensificação da pecuária nestas áreas. Na parte de relação com o mercado, acabamos de realizar a abertura da nova safra de touros com o Megaleilão CFM 2013, já na sua 15ª edição, e continuamos no atendimento aos clientes CFM para melhor servi-los na sua necessidade de reposição dos touros para esta estação de monta.

Geraldo T. Martins é diretor presidente da CFM

Como você avalia o momento da pecuária brasileira e quais são os principais desafios do setor nos mercados interno e externo?

Acreditamos que a pecuária esteja passando por um momento grande de intensificação do setor de cria, uma vez que muito já foi feito na recria e na engorda, quando realmente os investimentos em tecnologia e retorno dos resultados acontecem mais rapidamente. Contudo, o pecuarista percebeu que o grande gargalo da produção está na cria e que a genética é e deve ser tratada como insumo. Tanto que, mesmo mantendo 53% dos touros vendidos para clientes que já utilizaram nossa genética anteriormente, nossa carteira de clientes tem aumentado ao longo dos anos, com maior presença de pequenos e médios criadores. Estes fatos mostram que o pequeno e o médio compradores entendem a necessidade de melhorar a sua genética para poder manter a competitividade. Por sinal, manter a pecuária competitiva em relação às outras opções de atividades dentro da fazenda é o principal desafio atual. Mesmo em áreas com vocações naturais para pecuária, é preciso seguir os princípios de produtividade, respeitando os limites ambientais das fazendas.