A Granja do Ano – 34 anos da melhor prestação de informações e serviços ao profissional do campo.

Radiografia das principais atividades agrícolas, relação de instituições e empresas do agronegócio brasileiro.

Soja

 

Soja com jeito empresarial

A SLC Agrícola, que plantou 114 mil hectares de soja na safra passada, vai aumentar ainda mais a área em 2012/13

A Granja do Ano – Qual é o planejamento e quais as metas da SLC Agrícola para a soja na safra 2012/2013 em relação a área, produção e produtividade?

Arlindo de Moura – Por termos ações negociadas em bolsa, temos restrições no que podemos antecipar em termos de informações que impactem resultados futuros, de forma que nesse momento ainda não podemos entrar em muitos detalhes sobre o mix de plantio para 2012/13, pois ainda não é informação pública. Podemos afirmar, no entanto, que a meta da nossa companhia é de atingir 280 mil hectares em área total plantada para a safra 2012/ 13 (essa meta já foi dividida com o mercado), incluindo todas as culturas. Na safra 2011/12 plantamos 114 mil hectares com soja. Em função dos preços atrativos iremos, certamente aumentar esse número para 2012/13, reduzindo área de algodão, que com os preços atuais apresenta rentabilidade menor do que a soja. Quanto à produtividade, nossa meta para a média da empresa na safra 2011/12 foi de 3.297 quilos/hectare. Isso considera também o plantio em áreas de primeiro e segundo ano (áreas que eram brutas), onde o potencial produtivo é menor. Trabalhamos com aumento de 1% ao ano na produtividade média, como meta.

E quais são as expectativas da empresa para a rentabilidade da oleaginosa na safra 2012/13 visto as cotações recordes?

A soja irá trazer rentabilidade muito boa realmente em 2012/13, certamente superior à de 2012, considerando uma produtividade dentro do esperado. Nós trabalhamos sempre com travas de preços futuros, obedecendo nossa política de travamento de preços, que é balizada em parte pela evolução da formação de nosso custo de produção. Como já compramos boa parte dos insumos para a nova safra, também um percentual da produção de soja para o ano que vem já está sendo travado com nossos clientes, de forma que o preço médio que iremos faturar a soja no ano que vem será uma ponderação de vários momentos de mercado.

Como a empresa realiza a comercialização da safra de soja? Quais mecanismos têm proporcionado melhores resultados?

Vendemos a soja para as grandes tradings, utilizando contratos de venda futuros para fixar os preços antecipadamente e garantir margens. Entregamos a soja na “porteira da fazenda”, de forma que o transporte fica a cargo dos clientes. Boa parte da soja que vendemos tem como destino a exportação, mas fica também muito a critério das tradings se ela vai esmagar a soja e vender o óleo e farelo internamente ou exportar, ou exportar o grão diretamente. Esse mecanismo é interessante, pois a trading é mais eficiente na logística.

Quais são as metas de incremento da produtividade de soja que a empresa se propõe safra após safra? E o que é feito para que estes objetivos consigam ser alcançados?

Trabalhamos com incremento de 1% ao ano na produtividade média. Calculamos esse 1% em cima da média de cinco anos. O que possibilita isso é uma combinação de melhores sementes, técnicas modernas de plantio e melhoria na performance das máquinas.

Arlindo Moura é diretorpresidente da SLC Agrícola