A Granja do Ano – 34 anos da melhor prestação de informações e serviços ao profissional do campo.

Radiografia das principais atividades agrícolas, relação de instituições e empresas do agronegócio brasileiro.

Adubos e Corretivos

 

Tradição em oferecer soluções

A Bunge, com mais de um século e aproximadamente 20 mil clientes, é dona das conhecidas marcas Manah, Ouro Verde, Serrana e IAP

A Granja do Ano – Como a Bunge contribuiu para o processo de incremento da produção brasileira de grãos?

Roberto Carlos – A Bunge, não apenas em grãos, mas nas demais culturas em que atua, vem contribuindo de forma significativa para o crescimento da produção na agricultura brasileira. Para isso, está constantemente preocupada com as necessidades do mercado. É preciso estar próximo do produtor, entender, acompanhar e respeitar sua evolução para poder continuar entregando produtos e serviços de qualidade que atendam suas demandas, contribuindo assim para o incremento da produção.

Quais são os mais recentes desafios na área de nutrição de plantas na agricultura brasileira e como a Bunge trabalha para acompanhar as demandas dos produtores?

O grande desafio é atender 100% das demandas dos produtores no que se refere à nutrição de plantas. Desta forma, para conseguir levar ainda mais soluções em nutrição, a Bunge lançou em 2012 Manah Foliaris, uma linha de fertilizantes foliares que conta com toda tradição e reconhecimento da marca Manah.

Quais são as metas do projeto de redução de emissão de CO2 realizado pela Bunge em parceria com a Florestal Santa Maria, no Mato Grosso? O que vai representar essa iniciativa?

A Bunge, em parceria com a Florestal Santa Maria, desenvolveu um projeto inédito, que permite ganhos financeiros a partir da geração de créditos de carbono, com manutenção e preservação de cerca de 70 mil hectares de floresta nativa no estado do Mato Grosso. A princípio, o projeto terá duração de 30 anos e evitará uma emissão total da ordem de 30 milhões de toneladas de CO2, ou cerca de 1 milhão de toneladas de CO2 por ano.

Considerando os preços positivos das commodities, especialmente soja e milho, quais as expectativas para a safra 2012/2013 no Brasil?

Realmente, os preços das commodities estão positivos e devem se manter para a próxima safra. Com isso, a expectativa é que os produtores rurais continuem investindo em novas tecnologias e aumentem a área plantada, favorecendo assim a economia do país como um todo.

Roberto Carlos Oliveira é diretor comercial da Área de Fertilizantes da Bunge Brasil