A Granja do Ano – 34 anos da melhor prestação de informações e serviços ao profissional do campo.

Radiografia das principais atividades agrícolas, relação de instituições e empresas do agronegócio brasileiro.

Especial

 

O nosso agronegócio no lugar que MERECE

O produtor e os demais profissionais da lida do campo sabem que depende quase que exclusivamente deles alcançar o sucesso no seu empreendimento. Raramente recomenda-se esperar por uma ajuda consistente de outras esferas, como a governamental. A cotação despencou? Chama o Governo que ele vem e subsidia o preço... na França! Produziu-se um recorde? Ótimo, tem estrada boa, hidrovia e ferrovia para fazer o transporte barato até o porto... nos Estados Unidos! Talvez pela necessidade de ser sempre eficiente, os nossos homens e as nossas mulheres do campo fizeram a agropecuária brasileira se desenvolver tanto e atingir tal nível de excelência. Mas, às vésperas da safra 2012/13, é de fora que chegam os ventos que sacodem a realidade – e o bolso – do produtor brasileiro.

estiagem que atingiu em cheio as lavouras americanas, causando quebras históricas de milhões e milhões de toneladas de milho e soja – além de insônia no presidente Obama –, teve um efeito de foguete nas commodities agrícolas. E o clima melhorou muito a vida do produtor brasileiro com a saca de soja a impensáveis R$ 80 e a de milho superando os R$ 30. Alia-se a esta situação fortuita uma realidade permanente: o mundo vai precisar de muito, mas muito mais alimento do Gerson Sobreira / Terrastock que já necessitou e o Brasil terá que ser (não é opção de ninguém) o provedor desta comida. Todas estas circunstâncias – e algumas outras – estão esmiuçadas nas páginas a seguir d’A Granja do Ano 2012/2013. Um colossal relato jornalístico sobre as principais atividades agrícolas, material redigido pela equipe da revista A Granja, em conjunto com a respeitada Agência Safras.

Mesmo que nem todos os segmentos estejam vivenciando tal realidade de sonhos – alguns, aliás, penam em dias bastante dramáticos –, esta 27ª edição do anuário tem satisfação em veicular números animadores. Muitos, inclusive, são recordes. Sabese bem da volatilidade dos mercados agrícolas, todos interligados independente das distâncias, das procedências, mas fiquemos todos na torcida. Afinal, a verdade é que você verá a partir da próxima página uma realidade que os protagonistas do agronegócio brasileiro merecem há muito: o trabalho e o empenho reconhecidos. Espera-se, portanto, que a próxima edição d’A Granja do Ano repita boa parte das notícias alvissareiras publicadas nesta e que os segmentos que hoje sofrem sejam igualmente brindados com boas novas.

Boa leitura! Boa safra 2012/13! Até 2013/14!