A Granja do Ano – 34 anos da melhor prestação de informações e serviços ao profissional do campo.

Radiografia das principais atividades agrícolas, relação de instituições e empresas do agronegócio brasileiro.

Destaques 2011 Picapes

Grife e versatilidade sobre pneus

As regiões de predominância do agronegócio no país absorvem uma média de 45% das picapes comercializadas pela Toyota

Nome da empresa: Toyota do Brasil
Sede: São Paulo (escritório comercial)
Fábricas: Indaiatuba/SP e São Bernardo do Campo/SP; Centro de Distribuição em Guaíba/RS
Volume de produção: capacidade para produzir 330 veículos/dia Participação em picapes: Hilux líder em picapes médias a diesel (35%) Unidades vendidas em 2010: 99.570
Previsão de vendas 2011 (previsão): 102.700 unidades

A Granja do Ano — O que o consumidor do “mundo” do agronegócio, seja ele produtor rural ou outro profissional, procura quando quer adquirir uma picape? Quais os principais diferenciais para atendê-lo em relação ao consumidor de picapes urbano?

Flávio Villaça — Os clientes de picapes no Brasil se atentam basicamente a cinco características ao efetuar a compra do seu veículo: perfil de carro de passeio, estilo de vida, versatilidade, ferramenta de trabalho e status. Os pequenos fazendeiros optam por picapes 4x4 básicas a diesel e as utilizam em 70% de suas atividades como ferramenta de trabalho, pois são atendidos em suas principais necessidades, como qualidade, durabilidade, confiabilidade, baixo custo de manutenção, baixo consumo de combustível e versatilidade. Já os grandes fazendeiros procuram picapes 4x4 topo de linha a diesel e também as utilizam como ferramenta de trabalho, porém, na maior parte do tempo, servem para uso pessoal. Estes primam pelo design, conforto, desempenho e robustez.

E quais são as estratégias de marketing da Toyota, os diferenciais em relação aos concorrentes, para atender o consumidor do campo?

A Toyota está sempre atenta ao mercado de agronegócio. Sempre agregando o DNA Toyota de qualidade, durabilidade e confiabilidade ao cliente.A Hilux atende às necessidades do cliente do campo com versatilidade, sendo uma ferramenta de trabalho e também um estilo de vida.

Qual é a expressão comercial da marca Toyota em regiões cuja predominância da economia é agrícola?

Das 34 mil unidades vendidas em 2010, 45% foram realizadas em regiões de agronegócio.

O que significa para quem atua no campo ter um modelo de picape com a grife Toyota?

A Toyota Hilux combina conforto, espaço interno, resistência e grande capacidade de carga na caçamba, características essenciais para servir os profissionais do agronegócio, proporcionando a melhor experiência de compra e propriedade de um automóvel.

Quais foram os lançamentos da empresa no segmento de picapes nos últimos 12 meses?

Em novembro de 2010, a Toyota lançou a Hilux 2011. Destaque para a introdução das novas rodas de liga leve, nas versões top de linha SRV, que antes eram cromadas e agora apresentam aparência fosca, mais esportiva. As versões SRV 3.0 D-4D diesel e V6 gasolina, ambas com câmbio automático, do utilitário esportivo médio SW4 receberam, também como item de série, sensor de estacionamento traseiro. Outra novidade é o travamento automático das portas com o veículo em movimento a 25 km/h programado de fábrica.

Qual é a realidade e as perspectivas para a comercialização de picapes?

As vendas de picapes médias da Toyota do Brasil atingiram 34 mil unidades em 2010, um crescimento de 10% em relação a 2009, sendo o quinto recorde consecutivo. Também em 2010, o mercado de picapes médias vendeu 126 mil veículos, sendo 75% deles a diesel, onde a Hilux detém a liderança com 35% do mercado. A picape média da Toyota lidera também em todas as regiões do Brasil: Norte, 34%; Nordeste, 38%; Centro-Oeste, 37%; Sudeste 34%; e Sul, 31%.

Flávio Villaça, gerente geral de vendas da Toyota do Brasil