A Granja do Ano – 34 anos da melhor prestação de informações e serviços ao profissional do campo.

Radiografia das principais atividades agrícolas, relação de instituições e empresas do agronegócio brasileiro.

Destaques 2011 Defensivos Agrícolas

Propagando lavouras sadias

Com investimento de US$ 1 bilhão ao ano em pesquisa e desenvolvimento, a Syngenta ajuda o produtor a defender sua lavoura

Nome da empresa: Syngenta Proteção de Cultivos
Sede: São Paulo/SP
Unidades no Brasil: 15
Número de funcionários no país: 1.900

A Granja do Ano — O que os produtores podem esperar de novos investimentos da Syngenta para a próxima safra?

Laércio Giampani — A Syngenta é líder mundial em defensivos agrícolas e investe globalmente US$ 1 bilhão por ano em pesquisa e desenvolvimento de novos produtos. Buscamos trazer soluções para os agricultores por meio da integração das nossas tecnologias, identificar as oportunidades que o mercado oferece para eles e criar soluções que os nossos clientes percebam como simples e eficientes. Essa estratégia está alinhada com o perfil do agricultor do futuro: mais profissional, especializado, que opera em um cenário complexo. Esse cliente busca um melhor planejamento e programas de insumos mais simples para obter maior produtividade. E é isso que oferecemos com esse novo tipo de oferta.

Como estão as vendas da Syngenta este ano e quais as expectativas para 2012?

Globalmente, a Syngenta anunciou um aumento de 14% nas vendas no primeiro semestre de 2011. A corporação está confiante na nova estratégia de soluções integradas e já anunciou ao mercado que pretende dobrar as vendas no mundo dos principais produtos de cerca de US$ 8,4 bilhões para US$ 17 bilhões. No Brasil, nossas vendas e participação no mercado mantêm seu ritmo de crescimento.

Que desafios uma agricultura tropical impõe à indústria de defensivos? Como a Syngenta trabalha para atender a demandas tão diversas quanto as brasileiras?

Em um país tão extenso como o Brasil, onde a produção agrícola é influenciada por fatores tão diversos, é imprescindível contarmos com uma forte presença em todas as regiões. Temos uma equipe técnica altamente qualificada, composta por mais de 400 profissionais, distribuídos por todo o país. Somando as informações de campo apuradas por essa equipe, o minucioso trabalho de pesquisa e o desenvolvimento de tecnologias, formamos uma plataforma consistente, com foco nos diferentes tipos de solo e condições climáticas. Assim, apresentamos soluções personalizadas para cada cliente, integradas e eficientes, que unem o melhor em termos de sementes e proteção de culturas, proporcionando maior produtividade e lucratividade ao agricultor e potencializando a capacidade de as lavouras brasileiras atenderem à crescente demanda por alimentos.

A Syngenta trabalha sob critérios de responsabilidade sócio-ambiental. Fale sobre os projetos da companhia.

Estamos envolvidos em vários projetos de responsabilidade sócioambiental, entre eles gostaria de destacar: Escola no Campo – em parceria com a Fundação Abrinq, que visa à formação de novas gerações de produtores, sensibilizando crianças e adolescentes para temas ligados à segurança alimentar, qualidade de vida e conservação ambiental. Desde o seu início, o projeto já beneficiou mais de 400 mil crianças; Centro Sul de Feijão e Milho – em parceria com a Emater/PR, o Instituto Agronômico do Paraná (Iapar), a Embrapa, a Secretaria da Agricultura do Paraná e a Federação Brasileira de Plantio Direto na Palha. Tem como objetivo transferir tecnologia e capacitar pequenos produtores de feijão e milho nas boas práticas agrícolas; Soja Mais Verde – feito em parceria com as prefeituras da região do Alto Teles Pires, em Mato Grosso, maior centro produtor de soja do Brasil, para mapear as áreas rurais e promover a regularização ambiental das propriedades; Projeto Água Viva – protege, recupera e conserva nascentes, capacitando agricultores e comunidades para identificar nascentes e manejar de forma adequada as áreas em que estão as minas d’água e as matas ciliares. O projeto teve início em 2004, no Paraná e, em 2009, foi ampliado para outros estados, como Goiás, Espírito Santo e Minas Gerais; RenovAção – realizado pela União da Indústria da Cana-de-Açúcar (Unica), que treina e requalifica os trabalhadores egressos dos canaviais ou das comunidades das regiões Nome da empresa: Syngenta Proteção de Cultivos Sede: São Paulo/SP Unidades no Brasil: 15 Número de funcionários no país: 1.900 Laércio Giampani é presidente da Syngenta no Brasil Divulgação canavieiras, capacitandoos para atividades nas usinas ou em outros setores da economia. A meta anual do programa é capacitar 3.500 trabalhadores rurais.

Laércio Giampani é presidente da Syngenta no Brasil