A Granja do Ano – 34 anos da melhor prestação de informações e serviços ao profissional do campo.

Radiografia das principais atividades agrícolas, relação de instituições e empresas do agronegócio brasileiro.

Destaques 2011 Pulverizadores

Tecnologia a serviço da sanidade

Jacto investe em suas linhas como a Uniport e a Otmis para que o produtor defenda suas lavouras das ameaças da natureza

Nome da empresa: Jacto
Sede: Pompeia/SP
Número de funcionários: 1.800
Países presentes: 107

A Granja do Ano — Quais foram os principais lançamentos da Jacto nos últimos meses?

Robson Cardoso — No ano de 2011, a Jacto apresentou muitas novidades ao mercado. Na linha Uniport, tivemos a introdução da transmissão de dez velocidades no modelo Uniport 2500 Star, que é o campeão de vendas dos pulverizadores autropropelido no Brasil. Com isso, o equipamento ficou ainda mais versátil, possibilitando melhor adequação da velocidade nas operações de campo e mais econômico em relação ao consumo de combustível. Na linha Otmis, que é a nossa marca para soluções de agricultura de precisão, introduzimos o Otmis Maps Pulverização e Otmis Maps Colheita, que permite ao agricultor fazer o mapeamento da pulverização ou da colheita de café. O Otmis Maps é a solução para o gerenciamento do rendimento e da qualidade da pulverização e da colheita através de informações georreferenciadas. Este sistema usa o conceito de Aplicação Web, onde os dados são armazenados em um potente servidor remoto não necessitando o armazenamento nem instalação de software no computador local da propriedade. Com isso, os dados e mapas, que estão replicados em servidores de alto nível de segurança e confiabilidade, podem ser acessíveis a partir de qualquer conexão com a internet. Ainda na linha Otmis, introduzimos também o conceito de agricultura de precisão (barra de luzes e controlador de segmentos) para os pulverizadores tratorizados de carreta e montados três pontos, tornando assim essa tecnologia disponível também para as médias e pequenas operações agrícolas.

Quais as suas perspectivas para os negócios da empresa para o ano agrícola 2011/2012, visto o momento aquecido das cotações das commodities?

Apesar dos recentes abalos na economia mundial olhamos para o próximo ano agrícola com boas perspectivas. Os últimos acontecimentos mostram alguma tendência de redução de preços nas commodities, mas ainda mantendo-as num patamar elevado. O Brasil, em particular, tem crescido tecnologicamente no agronegócio, mantendo-se competitivo mundialmente, mesmo num ambiente cambial desfavorável. A manutenção das linhas de financiamento, como o Finame PSI, têm permitido acesso dos agricultores a produtos e tecnologias que impactam positivamente na sua eficiência e produtividade. O mundo tem uma população crescente que precisa de alimentos, fibras e energia. A América Latina e outros países emergentes como Rússia, Ucrânia e África do Sul têm plenas condições de serem fontes de suprimento para uma Ásia que consome cada vez mais e uma Europa Ocidental com recursos naturais limitados.

Na hora da aquisição de um pulverizador, o que o produtor leva mais em consideração, o que ele mais procura na máquina?

Existem vários fatores de decisão que podem ter níveis diferenciados de importância para cada tipo de operação, mas três deles são fundamentais: segurança – é um fator indiscutível e inegociável, pois qualquer máquina deve proporcionar uma operação segura para o operador em si, para as pessoas ao redor e também para o meio ambiente; qualidade – o pulverizador é responsável por uma função crítica dentro do processo produtivo agrícola que é manter a sanidade da cultura para que esta possa realizar todo o seu potencial produtivo. Portanto, tem que estar sempre disponível para a operação a qualquer momento. Além disso, tem que ser preciso e eficiente para executar uma operação de qualidade; produtividade – um equipamento tão crítico deve ser capaz de entregar ao produtor uma alta performance em área tratada (hectares/hora), pois tempo é sempre um fator decisivo no controle de pragas e doenças. Em adição a isso, deve contar também com uma assistência técnica eficiente que seja capaz de atender com rapidez e eficácia quando necessário.

Robson Cardoso é diretor comercial global da Jacto