A Granja do Ano – 34 anos da melhor prestação de informações e serviços ao profissional do campo.

Radiografia das principais atividades agrícolas, relação de instituições e empresas do agronegócio brasileiro.

Especial

Um Agronegócio de muitos RECORDES

Uma palavra é quase onipresente nas reportagens da 26ª edição d’A Granja do Ano. Atente para a definição "recorde", pois o termo tem lugar cativo na maioria dos textos que passam a limpo o momento dos principais setores do agronegócio brasileiro. São números históricos que exprimem a área cultivada, a produção, a produtividade e – viva! – a rentabilidade do produtor. Sim, de uma maneira geral, o produtor está, agora, sendo remunerado com justiça. Afinal, não foram raras as edições anteriores deste anuário a relatar números históricos de safras, proezas das lavouras e criações, governantes gabando-se dos recordes, mas o produtor – justamente ele – amargando déficits contábeis após a venda dos animais ou colheita.

Desta vez, o produtor foi convidado para a festa – e, em alguns segmentos, até lhe foi oferecido um camarote. Mais do que isso, as perspectivas são animadoras para a safra de verão 2011/12. E não são apenas os números da Conab que sinalizam novas colheitas históricas. As remunerações deverão seguir simpáticas a quem planta, cuida, colhe, cria e comercializa. O mundo está faminto – e por comida de qualidade – e os estoques globais reguladores estacionaram. Tudo isso somado consiste num, digamos, "prato cheio" para quem é craque em produzir alimentos como o Brasil – e que produz bastante e com eficiência, seja em lavouras ou em pastagens. Este é o cenário apresentado ao agronegócio brasileiro para a temporada 2011/12.

É claro que nem tudo está perfeito. Mesmo os segmentos que vivem dias de fartura são espreitados por ameaças, inclusive aquelas incontroláveis da economia global. Nem vale mencionar os muitos problemas estruturais que este país oferece aos bem-intencionados que se aventuram a produzir. Há, ainda, alguns segmentos que patinam demais, vivenciando, inclusive, um tempo de desânimo. Tudo isso está relatado nas reportagens que seguem: um trabalho minucioso da equipe A Granja em conjunto com a respeitada Agência Safras. Espera-se que textos semelhantes a estes, que relatam recordes e outras boas notícias, estejam nestas páginas dentro de um ano, na próxima edição d’A Granja do Ano.

Até lá! Bons e novos recordes!