A Granja do Ano – 34 anos da melhor prestação de informações e serviços ao profissional do campo.

Radiografia das principais atividades agrícolas, relação de instituições e empresas do agronegócio brasileiro.

A Edição

 

No início do segundo semestre de 2011, as sombras de uma nova crise mundial pairavam no horizonte. Ainda que, felizmente, os primeiros indícios de uma tragédia econômica global pareciam inconsistentes, a preocupação era uma variável presente em qualquer planejamento. Nesse mesmo período, o produtor brasileiro espichava o olho para outro horizonte – o da sua lavoura – e refletia sobre o que plantar na safra de verão 2011/2012, que área destinar para a cultura e quanto investir em tecnologias. Pois nessa mesma época de incertezas e apreensões era finalizada a 26ª edição d’A Granja do Ano, anuário com objetivos bem definidos: esclarecer de forma transparente, responsável e com embasamento o que esperar dos mais importantes segmentos agropecuários na temporada 2011/2012. Missão esta seguida à risca desde a primeira edição, em 1986.

As reportagens a seguir oferecem uma radiografia aprofundada de praticamente 100% do PIB agropecuário brasileiro, trabalho jornalístico cuja intenção é disponibilizar ao leitor respostas a uma sequência de porquês – referentes ao passado, ao presente e ao futuro de cada setor (e suas possibilidades). Naturalmente, seria uma irresponsabilidade nossa anunciar o que vai acontecer com determinado segmento pecuário ou agrícola, sobretudo em tempos inconstantes de globalização, mas é, sim, nossa pretensão garantir que o leitor d’A Granja do Ano estará muito mais preparado para os movimentos incertos da temporada 2011/2012.

Mas A Granja do Ano 2011/2012 em suas mãos também se presta a homenagear os vencedores do 26º Prêmio Destaques A Granja do Ano 2011, a principal e mais tradicional láurea do agronegócio brasileiro. Os escolhidos pelos leitores d’A Granja têm espaço para entrevistas especiais, onde contam por que foram eleitos – eles ou as empresas ou as instituições que dirigem – como os principais expoentes do país nos segmentos em que atuam. Por fim, a outra incumbência do anuário é mais prática: nas páginas finais, a relação das principais entidades classistas e das empresas do agronegócio brasileiro, seus endereços, sites, e-mails e telefones. Na relação de empresas está absolutamente tudo, seja produtos ou serviços, para o produtor ou o criador fazer da temporada agrícola 2011/2012 a melhor de todas.

Boa leitura! Bom ano agrícola 2011/2012!