A Granja do Ano – 34 anos da melhor prestação de informações e serviços ao profissional do campo.

Radiografia das principais atividades agrícolas, relação de instituições e empresas do agronegócio brasileiro.

Editorial

A Edição

Neste mesmo espaço, 25 edições atrás, se vaticinou: “Os conteúdos das matérias foram trabalhados para resistir ao tempo. A Granja do Ano vai durar mais do que um ano”. Realmente, as missões da edição de 1986 e de todas as seguintes foram cumpridas à risca. Assim como é a proposta desta em suas mãos agora: nas mais de 200 páginas a seguir, o agronegócio brasileiro está passado a limpo. Em três atos.

No primeiro, os principais segmentos agrícolas do país são dissecados: soja, algodão, boi gordo, vinho e outros. Afinal, por quais circunstâncias o setor passa e o que se espera nos próximos 12 meses? Sabe-se que os ventos da economia são bastante volúveis, mudam com facilidade e pelas razões mais inesperadas, mas você pode estar certo que esta publicação é, ao mesmo tempo, um diagnóstico preciso e um guia que projeta o futuro imediato e a médio prazo das mais relevantes atividades agropecuárias do Brasil.

O segundo ato faz uma reverência aos personagens que – safra após safra, criação após criação – tornaram e tornam este país no que se convencionou chamar de “celeiro do mundo”. São os eleitos como Destaque A Granja do Ano, líderes escolhidos de forma democrática e espontânea pelo leitor d’A Granja. Não há como negar que os entrevistados fazem este país – e não apenas o agronegócio brasileiro – muito melhor. Eles estão, definitivamente, de parabéns!

Por fim, a tradicional relação de entidades e organizações públicas, institucionais e privadas, e de empresas. São prestadoras de serviços e fabricantes de produtos vitais para a agropecuária brasileira. Telefones, endereços, sites, emails que oferecem soluções para quem vive do e para o campo. Não compre, não venda, não contrate nada antes de consultar estas páginas.

Definitivamente, A Granja do Ano 2010/2011 é uma publicação única e imperdível. As missões foram executadas por exato um quarto de século. E temos certeza que assim será com a que está em suas mãos. E com as muitas que virão! Boa leitura! E até as próximas!