A Granja do Ano – 34 anos da melhor prestação de informações e serviços ao profissional do campo.

Radiografia das principais atividades agrícolas, relação de instituições e empresas do agronegócio brasileiro.

PICK-UPS

Para chegar aonde se deseja

A Granja do Ano — Que importância o agronegócio representa para a empresa no segmento de picapes? Neste ponto, como o atual momento de dificuldades do setor está refletindo nas vendas?

Wilson Vasconcellos Filho — O agronegócio é um dos principais canais de vendas de picapes, principalmente dos segmentos médio e grande. O fato do agronegócio perder força nos últimos anos, acaba de forma direta e indireta afetando o negócio das picapes, notadamente dos modelos a diesel 4x4. A Ford, frente às dificuldades no campo, tem procurado manter suas vendas estáveis através do aumento das vendas de picapes a gasolina, normalmente direcionada para uso urbano. Essa é a vantagem de ter uma linha diversificada, o que poucos competidores possuem no nosso mercado.

P — O que o consumidor de picapes tem levado em consideração na escolha do modelo? Quais são as suas principais exigências?

R — Os itens de consideração de compra são: força, robustez, design robusto e experiência anterior. As exigências podem ser traduzidas na seguinte frase. “Quero um veículo que eu possa chegar aonde eu quiser com segurança e conforto”.

P — Qual é a importância do mercado brasileiro dentro do cenário mundial da empresa no segmento de picapes?

R — Devido às características geográficas e a própria tendência do País para o campo, o Brasil é um dos principais mercados de picapes do mundo para a Ford. Temos investimentos no Mercosul, com fábricas que produzem as nossas picapes tanto para o mercado brasileiro como para exportação. Isso mostra a importância da Ford Brasil em picapes dentro do cenário mundial.

P — Quais são os principais diferenciais da Ford no competitivo mercado de picapes?

R — A Ford tem um grande diferencial: é a montadora que tem a linha mais completa do País, que vai desde a picape compacta (Courier), até a picapes médias (Ranger) e grandes (F 250). A linha Ranger é a única a oferecer todas as versões: desde o modelo a gasolina, cabine simples (única do mercado) até a versão luxuosa da cabine dupla, diesel, 4x4. A F 250, maior picape fabricada no País, também é oferecida com cabine simples e dupla. Outro ponto importante é o fato de a Ford produzir picapes no Brasil há 49 anos e a mais de 80 anos produzindo no mundo. Quem esta há tanto tempo fazendo picapes e evoluindo com o mercado, é porque sabe fazer picapes. Estes são diferenciais únicos no mercado brasileiro.

P — Quais são as principais tendências das picapes? O que veremos no futuro em termos de design, segurança, conforto, etc.?

R — O mercado de picapes, acompanhando a indústria automobilística, tem evoluído rapidamente. Tem buscado implementar itens de conforto nas picapes, o que as têm tornado cada vez uma tendência “car-like”. Apesar desta tendência, a Ford acredita que haverá uma fusão da força e robustez com o conforto sem perder a característica de um veículo robusto.

P — Quais foram os lançamentos mais recentes da empresa no segmento de picapes e quais são os previstos para os próximos 12 meses?

R — Em maio do ano passado, a Ford lançou a Ranger com motor Power Stroke, primeiro propulsor eletrônico do País no segmento de picapes, com 163 cv (o mais potente da categoria). Este ano lançamos a F 250 2007 com tração 4x4, com um novo design, um novo motor eletrônico Maxpower e nova suspensão. Estamos atentos ao mercado e às necessidades dos nossos consumidores e portanto continuaremos inovando com novos produtos.