A Granja do Ano – 34 anos da melhor prestação de informações e serviços ao profissional do campo.

Radiografia das principais atividades agrícolas, relação de instituições e empresas do agronegócio brasileiro.

CAMINHÕES

Opções para transpotar a safra

A Granja do Ano — Quais foram os lançamentos mais recentes da empresa para utilização pelo agronegócio?

Gilson Mansur — No ano passado, a Mercedes-Benz lançou a linha de caminhões extrapesados Axor, que trouxe para o transportador mais opções no momento de escolher o produto adequado para sua aplicação. A família Axor, formada por 15 modelos, oferece cinco opções de distâncias de entre-eixos, três tipos diferentes de cabinas e dois tipos de motores eletrônicos. Essa versatilidade de componentes para configurar o caminhão e os recursos tecnológicos disponíveis – como, por exemplo, computador de bordo, sistema de diagnóstico onboard, indicador de consumo de combustível e equipamentos de segurança como o Turbo Brake (opcional), entre outros – garantem rentabilidade aos clientes, inclusive para aqueles que atuam no agronegócio. A empresa lançou mais duas linhas de caminhões nos últimos anos, os modelos leves Accelo e os médios e semipesados Atego, assegurando mais flexibilidade ao mercado. Os veículos dessas linhas, que também podem ser utilizados no agronegócio, têm propiciado elevados índices de economia de combustível aos clientes. Neste ano, a Mercedes-Benz passou a oferecer a motorização eletrônica, além de outras vantagens operacionais, nos caminhões L 1318, L 1620 e LS 1634, todos equipados com cabinas semi-avançadas. A marca também passou a equipar o leve 710 com motor mecânico na versão Proconve P 5, com a nova legislação de emissões.

P — Qual é o peso do agronegócio para o segmento de caminhões da empresa?

R — O agronegócio sempre teve forte influência nas vendas de caminhões no País. Neste ano, a queda da safra tem refletido em menores volumes de vendas de caminhões para esse setor. Porém, estamos verificando, por exemplo, tendência de aumento de vendas de caminhões nos segmentos da cana-de-açúcar, no comércio e na indústria.

P — Qual é a importância do mercado brasileiro para a DaimlerChrysler?

R — A DaimlerChrysler do Brasil é a maior fabricante de caminhões e ônibus do País. No ano passado, a empresa produziu o expressivo volume de 53.000 unidades de veículos comerciais, o maior volume registrado nos últimos 25 anos. A companhia fornece caminhões e ônibus Mercedes-Benz tanto para o mercado interno quanto o externo, atendendo todas as solicitações do transporte de cargas e de passageiros. A empresa produz também os motores, eixos e câmbios que equipam seus veículos, garantindo a qualidade e segurança de seu produto. Líder de vendas no mercado brasileiro e nas exportações, a empresa comercializou no ano passado, 22.847 caminhões, obtendo uma participação de 31%, e 8.250 ônibus, garantindo 56% de participação no segmento acima de oito toneladas. Foram exportadas 21.120 unidades para mais de 40 países, sendo 8.780 caminhões e 12.340 ônibus, representando, respectivamente, 24% e 66% das exportações brasileiras de veículos comerciais.

P — Que tipo de ações a empresa desenvolve para manter uma forte aproximação com seus clientes?

R — A marca Mercedes-Benz realizou de outubro de 2005 a julho deste ano, uma grande ação de demonstração das novas linhas de caminhões Mercedes-Benz Accelo, Atego e Axor. Denominada “Caravana Vem Mercedes-Benz”, esse evento itinerante contou com a participação de 25 mil pessoas, percorreu mais de 16 mil quilômetros e visitou 14 estados brasileiros. A caravana foi dirigida tanto ao frotista quanto ao motorista autônomo, de todos os segmentos de transporte.