A Granja do Ano – 34 anos da melhor prestação de informações e serviços ao profissional do campo.

Radiografia das principais atividades agrícolas, relação de instituições e empresas do agronegócio brasileiro.

DESTAQUES 2006

Pecuária de corte

A Granja do Ano — Quais são os principais diferenciais que colocam a CFM como referência na área de pecuária de corte?

David Makin — A CFM sempre teve uma visão empresarial do agronegócio, mantendo o foco em selecionar características de real importância produtiva do rebanho, que melhoram a performance e geram maior retorno financeiro para o produtor. Estas características, transferidas ao rebanho próprio e aos rebanhos dos clientes da CFM, têm aumentado de forma relevante a performance dos mesmos. Isto está refletido no valor das bezerradas oriundas de touros CFM, na avaliação e premiação recebida nos abates, pela musculatura e precocidade de terminação do nelore CFM, resultados que dão lugar ao elevado índice de recompra de nossos clientes de reprodutores. Entendemos que esta referência vem do uso e conhecimento da performance comprovada de rebanhos que adotam estes critérios de produtividade.

P — Que metas e conquistas foram alcançadas pela empresa em 2005?

R — Neste interminável ciclo de baixa da pecuária, a CFM manteve os volumes e preços de venda, continuou a investir na intensificação de sua produção e a melhorar a infra-estrutura das fazendas de pecuária fora do estado de São Paulo.

P — Quais são os principais projetos para este ano e para os próximos?

R — Os valores atuais das terras, aptas para cana-de-açúcar, no Estado de São Paulo, inviabilizam um retorno financeiro adequado da pecuária de corte em pastagens onde é viável a cana. Por isto, a CFM adquiriu uma propriedade na Bahia, que vai abrir e formar, para transferir parte do rebanho da companhia. Por outro lado, continuamos a investir na infra-estrutura que nos permita aumentar a capacidade de carga das fazendas da companhia no Mato Grosso do Sul. Com estas áreas, estaremos, inicialmente, mantendo o tamanho atual do rebanho, para voltar, assim que as estruturas o permitam, a crescer, já que dentro do plano qüinqüenal da empresa, iremos terminar com uma maior área de pastagem que a atual.

P — Que tipo de desafios a empresa precisa ou pretende superar para continuar em crescimento?

R — Embora com vários anos do presente ciclo de baixa nas costas, com aumentos de custos em mão-de-obra, alimentação, maquinário e combustível, que enfrentamos com preços de gado cada vez mais baixos, a pecuária da CFM continua lucrativa. Eficiência produtiva e cortes racionais de custos são nossas ferramentas. Ciclos de alta e baixa na pecuária não são uma coisa nova que o setor enfrenta, mas na conjuntura econômica atual é difícil deslumbrar melhoras de rentabilidade, não só para a pecuária, mas para a grande maioria das atividades produtivas da agricultura.

P — Mesmo oferecendo um produto de alta qualidade e obtendo recordes no mercado internacional, a pecuária brasileira ainda enfrenta problemas de rentabilidade. Na sua avaliação, que tipo de trabalho precisa ser iniciado ou intensificado para melhorar os resultados da pecuária do País e, principalmente, dos criadores?

R — É isso mesmo, a exportação de carne bate recordes no mercado, ainda com vários Estados excluídos das listas de exportação, os preços internacionais chegaram a estar bem altos e o pecuarista continua com o preço do gado totalmente defasado, com respeito aos custos. A corrente de produção da carne é inexistente no Brasil, cada elo vai na direção de seu interesse próprio.