Flores

Momento e números DESLUMBRANTES

O segmento de flores não foi atingido pela crise econômica brasileira. No ano passado, o faturamento cresceu 9%, sendo que algumas cooperativas chegaram a registrar até 15%. E há potencial para mais expansão

Eliza Maliszewski

Os números retratam um setor consolidado. O Brasil conta, atualmente, com cerca de 8 mil produtores de flores e plantas ornamentais. Juntos, eles cultivam mais de 350 espécies, com cerca de 3 mil variedades de flores cortadas, como rosas e crisântemos, e as de vaso, como orquídeas e kalanchoes. O mercado de flores representa uma importante engrenagem na economia brasileira, responsável por quase 200 mil empregos diretos, entre produção, distribuição, varejo e outras funções – em maior parte, como apoio. São cerca de 15 mil hectares de área plantada, sendo São Paulo o maior produtor e também consumidor.

Flores

No ano passado, foi registrado um faturamento de R$ 7,3 bilhões, crescimento de 9% em relação a 2016. Nos últimos cinco anos, essa foi a tendência (alta que varia de 8% a 16% por ano). Para o presidente do Instituto Brasileiro da Flor (Ibraflor), Kees Schoenmaker, há dois fatores que podem esfriar um pouco esse otimismo: a greve dos caminhoneiros, que aconteceu em maio, pode fazer com que a projeção de crescimento caia de 6% a 10%. “Com os dados e informações dos quais dispomos agora, tudo indica que o ano vai ficar abaixo das estimativas iniciais. Parece que o consumidor perdeu confiança e ficou mais cauteloso”, avalia.

Outro fator é o clima. A falta de chuva e as altas temperaturas do inverno na Região Sudeste aumentam a oferta de flores cortadas exatamente no momento em que o mercado estava fraco. “Mesmo assim, estamos confiantes, porque se percebe que as ...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!