Fito Secundária

Buva: ROTAÇÃO de herbicidas sempre (ou resistência)

O problema da resistência da invasora aos produtos para controle tem aumentado rapidamente. Como solução, é fundamental a rotação de herbicidas com mecanismos de ação diferentes

Éder Blainski, técnico responsável da Terra Pesquisa e Treinamento Agrícola

Abuva (Conyza bonariensis) é uma espécie de planta daninha nativa da América do Sul, com frequente ocorrência na Argentina, no Uruguai, no Paraguai e no Brasil. É uma planta anual que se reproduz por sementes, podendo produzir até 200 mil sementes por planta em condições ambientais favoráveis (Wu e Walher, 2006). Sua germinação, geralmente, ocorre no outono/inverno, com encerramento do ciclo no verão, caracterizando-se, assim, como uma planta daninha de inverno e verão. Na Região Sul – mais precisamente, no Paraná e no Rio Grande do Sul –, a buva se apresenta como importante planta daninha por infestar lavouras de trigo, soja, milho e ser a principal planta daninha no período de entressafra.

Fito

Para um excelente controle na pré-semeadura da soja, é importante que a buva esteja com, no máximo, 16 centímetros no momento da dessecação

Os primeiros relatos de buva resistente no Brasil – nesse caso, ao herbicida glifosato – foram constatados no Rio Grande do Sul e no Oeste do Paraná (Vargas et al., 2007). Populações de plantas daninhas resistentes a herbicidas são selecionadas devido às aplicações repetidas de herbicidas com o mesmo mecanismo de ação. Nesse caso, a introdução da tecnologia Roundup Ready intensificou as aplicações do glifosato, pelo fato de permitir o uso desse herbicida para o controle de plantas daninhas em pós-emergência da cultura da soja. Assim, juntamente com aumento do ...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!