Plantio Direto

SPD e produção de soja sustentável: quais os BENEFÍCIOS

Cid Sanches, consultor externo da RTRS no Brasil

O sistema de plantio direto é uma técnica de cultivo conservacionista efetuada sem as etapas do preparo convencional. Dessa forma, é realizado o mínimo revolvimento do solo, cobertura permanente e rotação de culturas. No Brasil, todas as propriedades com certificação RTRS têm aderido ao sistema, uma vez que promove diversos benefícios aos produtores rurais – como redução do risco de erosão, menor custo de produção e desgaste do maquinário – e, ainda, promove o aumento da vida microbiológica no solo. Também proporciona o sequestro de carbono e a redução das emissões da propriedade, pois este fica incorporado na palha e plantas vivas no solo.

Plantio

Unir os benefícios da certificação com os do sistema de plantio direto é uma excelente ferramenta para expandir a rentabilidade da produção de soja

O sistema de plantio direto promove a redução da erosão, que, por consequência, melhora a qualidade da água, diminuindo o assoreamento dos rios e nascentes, além de proporcionar o aumento da vida no solo. Inclusive, a maior parte da recarga dos aquíferos é feita dentro das fazendas que utilizam o sistema de plantio direto e que respeitam as legislações ambientais. Sendo assim, os produtores que mantêm o solo coberto com palhas ou plantas vivas são capazes de conservar a água de dentro da própria propriedade.

A principal diferença entre o plantio direto e o convencional é que, enquanto o primeiro não realiza nenhuma intervenção, no segundo, o solo é preparado para receber a cultura, o que envolve o uso de implementos arados e grades para o revolvimento e a inversão das camadas, deixando o solo exposto às ações do tempo que promovem ...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!