Plantio Direto

Explorar bem o solo exige, antes, resgatar a sua FERTILIDADE

Luiz Lourenço, presidente do Conselho de Administração da Cocamar Cooperativa Agroindustrial

O sistema de plantio direto na palha está entre os diferenciais da atividade agropecuária sustentável que se desenvolve no País. Nas regiões Norte e Noroeste do Paraná – estado que detém apenas 3% do território nacional e responde por 25% da safra de grãos –, essa prática se fortaleceu e se tornou ainda mais eficaz nos últimos dez anos, após a introdução da braquiária pela Cocamar, utilizando um modelo desenvolvido e orientado pela Embrapa. A braquiária não apenas oferece sustentação a projetos de integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF), mas também avança – e rapidamente – entre produtores de grãos que não praticam projetos integrados.

Plantio

Imagem clássica de um solo protegido com palha de braquiária de um sistema de integração lavoura-pecuária

Com a intensificação do cultivo de milho no inverno, que passou a ocupar a maior parte das terras na sucessão da soja, começou a haver uma visível perda de qualidade do plantio direto, visto que a palhada remanescente do milho se decompõe com rapidez sob altas temperaturas, deixando o solo desprotegido no verão. Além disso, alguns produtores erradicaram ou deixaram de fazer a manutenção de curvas de nível, a pretexto de que elas dificultam a movimentação de máquinas maiores. Como os meses quentes estão geralmente associados a chuvas que podem alcançar grande intensidade, é fácil imaginar os danos e efeitos ocasionados por tais fatores – em especial, o processo erosivo.

Plantio

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!