Fitossanidade

Fito

Fitossanidade

Qualidade na APLICAÇÃO

Novas estratégias para os processos de controle de pragas foram recém-desenvolvidas e apresentadas no âmbito da Rede de Pesquisa Redagro (a rede de pesquisadores para aplicação de defensivos), desenvolvida na parceria estabelecida entre a Embrapa, o Sindicado Nacional das Empresas de Aviação Agrícola (Sindag) e universidades. Este trabalho apresenta exemplos dessas estratégias. A aplicação de agrotóxicos, produtos que também são conhecidos como defensivos agrícolas, pode ser definida pelo emprego de conhecimentos que proporcionam a correta colocação de um produto biologicamente ativo no alvo de interesse.

Essa colocação deve apresentar uma adequada figura de mérito (custos/benefícios), devendo envolver somente as quantidades necessárias de defensivos para o controle de pragas, assim como apresentar ações que evitem a ocorrência de deriva, as quais poderiam atingir outras áreas localizadas na vizinhança do alvo planejado. São elas dependentes dos fatores climáticos, do tipo de produto agroquímicos utilizados (fungicidas, herbicidas, pesticidas, acaricidas, entre outros), assim como dos fatores biológicos, agronômicos e dos maquinários utilizados. As bases das novas estratégias visam ao dimensionamento de métodos apropriados para o uso dos defensivos agrícolas face às especificidades das culturas e das pragas a serem controladas.

É importante observar que, ao incorporar o planejamento estratégico nos processos da aplicação desses insumos para o controle de pragas, tal ação não diz propriamente respeito a decisões de futuro, mas trata das implicações futuras de decisões tomadas no presente, o que é diferencial para se atingir os resultados na agricultura e na sociedade.

Os ...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!