Primeira Mão

Frete I

Além do impacto do fortalecimento do dólar no preço dos fertilizantes, insumo que tem boa parte da matéria-prima importada, a implantação da tabela de frete pelo Governo Federal pesou na prancheta dos custos de produção do produtor gaúcho. E, assim, influenciou em mais um aumento do Índice de Inflação dos Custos de Produção (IICP), que foi de 3,97% em junho, segundo relatório do Sistema Farsul, a federação da agricultura do Rio Grande do Sul. O índice teve um incremento de 7,12% no acumulado do ano e de 9,16% em 12 meses.

Frete II

E, segundo pesquisadores do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Esalq/USP, o agronegócio é o setor da economia mais vulnerável ao tabelamento de fretes. Afinal, 42,3% de todos os serviços de transporte no País são utilizados pelo agronegócio, conforme dados da matriz insumo-produto do IBGE de 2010 (percentual que deve ter aumentado desde então, a partir da expansão do agronegócio, ao mesmo tempo em que a economia nacional encolheu).

Primeira


EMBRAPA E SEBRAE PELOS PEQUENOS

Para estimular boas práticas agrícolas pelos pequenos produtores, a Embrapa e o Sebrae firmaram convênio de cooperação técnica e financeira nas áreas de aquicultura, agroecologia e produção orgânica, produtos agroalimentares e acesso a conhecimentos e tecnologias sustentáveis. “Os pequenos agricultores brasileiros precisam, mais do que nunca, ter acesso a informações, conhecimentos e inovações tecnológicas. As instituições de fomento, pesquisa e extensão precisam atuar de forma inteligente e sinérgica para o desenvolvimento de soluções que viabilizem a elevação do desempenho e a inserção econômica dos pequenos agricultores”, avalia o presidente da Embrapa, Maurício Lopes.


Investim...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!