Fito Secundária

Fungicidas MULTISSÍTIOS, ferramenta de manejo de resistência da soja

Fito

O Consórcio Antiferrugem, através dos ensaios de rede, mostrou no recente VIII Congresso de Soja as vantagens dos produtos dos Grupos e multissítios M1, M3 e M5

Engenheiro agrônomo Reginaldo Sene, Albaugh Agro Brasil

Aprodução mundial de soja deverá alcançar neste ano aproximadamente 350 milhões de toneladas, com o Brasil produzindo quase um terço desse total. É um dos grãos mais cultivados no mundo, depois do milho, do arroz e do trigo. O que faz da soja uma estrela no mercado internacional além do extenso uso para alimentação e óleo são suas múltiplas utilidades industriais. Segundo o documento Projeções do Agronegócio 2016/2017 a 2026/2027, elaborado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), o Brasil poderá atingir aproximadamente 147 milhões de toneladas de produção de soja. Portanto, este indicador reafirma a relevância da cultura no coração do pujante agronegócio brasileiro.

A cultura da soja através das séries históricas da Conab, mostra que na safra 1976/1977 o Brasil cultivou aproximadamente 7 milhões de hectares, enquanto que na safra 2017/2018 a cultura ocupou cerca de 35 milhões de hectares. Nesse período, a cultura cresceu em cinco vezes a área cultivada. Outro indicador é que na safra 1976/77 a produtividade foi de 1.748 quilos/hectares, enquanto chegou a 3.350 quilos/hectare na safra 2017/2018. Isso mostra cerca de 91% no incremento médio de rendimento.

Nesse tempo, muitos desafios fitossanitários foram enfrentados. Alguns foram suprimidos, outros ainda é preciso conviver através do emprego de tecnologias. Ressaltam-se algumas pragas: cancro da haste, complexo de doenças de final de ciclo (DFC), ...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!