ANDEF

O custo da MOROSIDADE: até R$ 25 bilhões

Segundo estudo da Associação Nacional de Defesa Vegetal (Andef), 36 defensivos aguardam a obtenção de registro no Brasil, sendo que, destes, 28 estão aprovados em outros países. O registro que por aqui demora de oito a dez anos, em outras legislações não passa de dois anos

Uma lista com 36 defensivos aguarda atualmente análise para obtenção de registro no Brasil. No entanto, 28 deles já têm registros em países como EUA, Japão, Canadá, Austrália e Argentina. Isso porque o processo de avaliação e registro, que nesses países costuma levar cerca de dois anos, no Brasil dura de oito a dez anos. Essa realidade motivou o estudo “De- Fotos: Gerardo Lazzari fensivo: uma visão sobre inovação tecnológica e os impactos na economia”, realizado pela consultoria MBAgro a pedido da Associação Nacional de Defesa Vegetal (Andef) e apresentado no Fórum Inovação para Sustentabilidade na Agricultura, no mês passado, em São Paulo.

Fitossanidade

O diretor executivo da Andef, Mário Von Zuben, lançou o Prêmio Andef Inovação para Sustentabilidade na Agricultura, para reconhecimento profissional

Durante o evento, o engenheiro agrônomo e doutor em Economia Aplicada Alexandre Mendonça de Barros, responsável pelo estudo sobre defensivos e impactos econômicos, apresentou dados que mostram as perdas financeiras decorrentes da morosidade na aprovação de tecnologias agrícolas no Brasil. Uma simulação considerando ganhos relativamente pequenos pelo uso de novos produtos para o controle de pragas, que permitiriam às plantas atingir um potencial maior de produtividade da ordem de 5% a 10%, mostra que as perdas para a economia nacional vão de R$ 12 bilhões a R$ 25 bilhões. Além dessa queda no PIB agrícola, o Governo deixa de arrecadar de...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!