Na Hora H

A GUERRA FISCAL ENTRE OS "GRANDÕES" VAI NOS EXIGIR AINDA MAIS CAPACIDADE COMPETITIVA

Na

ALYSSON PAOLINELLI

Não esperem que esta briga fiscal entre Estados Unidos e a China vai nos beneficiar no mercado internacional. Pode até ser que algum benefício seja gerado, mas não se compara aos riscos que estaremos enfrentando. O Brasil é um país que tem o privilégio de, em menos de 20 anos, ser capaz de criar uma nova agricultura tropical, altamente sustentável. Especialmente como vem demonstrando em nosso Bioma do Cerrado, ambiente em que, além de conseguir fazer uma esplendorosa recuperação química, física e biológica do solo, ainda consegue implantar sistemas integrados de produção. Nesse local promove, em um só ano, a produção de grãos e de pastagens para uma pecuária supereficiente e, ao mesmo tempo, florestas regeneradoras de ambiente e clima que colocam o País na vanguarda de produtos que fomos capazes de melhorar em tempo recorde, tornando-nos altamente competitivos em qualidade, em preço e constância de oferta.

Não pensem que os dois grandes brigões não estão vendo e se preocupando com esse fato indiscutivelmente revolucionário em um planeta que por 4 mil anos só viveu e dependeu de uma agricultura de clima temperado e que foi batida tão rapidamente pela Revolução Verde que se realizou em nossas regiões tropicais. Esse fato está motivando que os países grandes produtores aumentem descaradamente os subsídios para não perder tão rápido, em comparação ao que foi a nossa evolução, o mercado que sempre foi francamente deles. Os seus “tesouros” são muito mais fortes, bem administrados e maiores do que o nosso. Por isso, é natural que procurem nessa ferramenta salvaguardar os mercados que, sempre sem grandes competidores, lhes pertencia. Pode ser que essa guerra fiscal...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!