O Segredo de Quem Faz

Os segredos de 127 SACAS de soja/hectare

Leandro Mariani Mittmann
[email protected]

O solo bem trabalhado a longo prazo é a principal explicação para o título de campeão brasileiro de produtividade de soja de 2018. Além, é claro, de uma colaboração divina das nuvens. Além disso, houve o uso de tecnologias de ponta. O produtor e estudante de Agronomia Gabriel Bonato, 30 anos, com seu pai, em Pontão/RS, colheu a média de 127,1 sacas de soja em uma área de dois hectares e meio inscrita no Desafio Nacional de Máxima Produtividade, o concurso promovido pelo Comitê Estratégico Soja Brasil (Cesb), que mobilizou 5,5 mil inscritos de todo o Brasil. A média nacional de lavouras comerciais é de 55 sacas. Bonato não é bom apenas na lavoura do concurso: sua média é de 86 sacas nos 116 hectares que cultiva, assim como 91 sacas em uma área destacada de 53 hectares e 108 sacas/ hectare na lavoura top de seis hectares. “Isso mostra que o potencial para se chegar a 100 sacas/hectare não está longe”, estima. Alguém duvida que ele alcançará?

O

A Granja — O que você produz e como é a produtividade de soja da lavoura comercial?

Gabriel Bonato — Temos a propriedade no município de Pontão/RS, e são 116 hectares de lavoura. Trabalho com o meu pai há oito anos e não temos funcionários, eu e ele fazemos o plantio, cuidamos na lavoura e colhemos. Cultivamos soja, milho e trigo. A soja é a principal cultura, e a média da lavoura neste ano foi de 86 sacas por hectare, a mesma média do ano passado. Essa é a média dos últimos anos. Sou estudante do quinto semestre de Agronomia.

A Granja — É uma média alta. A região atinge esse nível ou são apenas vocês?

Bon...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!