Palavra de Produtor

UM CICLO VIRTUOSO PODE ESTAR POR COMEÇAR

Palavra

Walter Horita

Nas últimas décadas, nunca estivemos tão próximos e tão distantes do tal futuro de que falava o escritor austríaco Stefan Zweig em sua célebre frase “O Brasil é o país do futuro”. Com atraso, mas não sem ousadia, abrimos os nossos portos ao comércio exterior, mesmo sob os protestos da indústria nacional, encontramos um caminho de estabilidade para uma economia combalida por uma sucessão de planos malsucedidos (seis, se bem me lembro), importamos e produzimos tecnologia para os mais diversos setores, em especial, para o agrícola, e, com isso, conseguimos aumentar significativamente a produção e a produtividade em nossas lavouras e plantéis, e na própria indústria brasileira.

Deixamos de importar algodão para nos tornarmos o quinto maior produtor e o quarto maior exportador da fibra no mundo. Saímos da posição de deficitários na produção de frango para ocupar o posto de maior exportador mundial. Trocamos a imagem do Jeca Tatu pela do empresário em dia com a tecnologia, com as bolsas mundiais, comprometido com a produtividade e a sustentabilidade, ambiental, social e econômica. Por um tempo, curto demais, nós, agricultores, e toda a sociedade nos sentimos no rumo certo para ocupar a posição de destaque, que parecia destinada à nossa nação, conforme previa Zweig. Infelizmente, não aconteceu, mas ainda há tempo para reajustarmos o curso a seguir.

Já disse aqui que tenho a firme convicção de que tudo são ciclos nesse universo. Não tenho dúvida de que um novo período se inicia, e fazê-lo virtuoso depende de quem vamos decidir colocar no comando, em outubro deste ano. Ainda estamos na zona de turbulência. Tudo parece chacoalhar e o horizonte é nublado demais para definir um cenário. ...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!