Agricultura 4.0

AGRISHOW 2018 = CONECTIVIDADE

Agricultura

Carlos Otoboni

Quem participou da Agrishow de 2018 teve a oportunidade de conhecer as principais tendências tecnológicas para a agricultura brasileira. Esta tem se caracterizado para o lançamento das principais inovações das empresas do setor agropecuário. Na feira, muitas coisas me chamaram a atenção, como o lançamento de tratores movidos a biogás, em um conceito renovável desde a produção do biocombustível na propriedade e seu uso nos tratores; a apresentação de novos distribuidores de fertilizantes a disco, com alto rendimento, mais precisos e com a possibilidade de realizar o corte de seção nessa modalidade de distribuição; computadores de bordo das máquinas sendo customizados para dispositivos móveis como tablets, direcionando a inovação para a portabilidade e muitas outras coisas relacionadas a máquinas e implementos agrícolas, bem como soluções de tecnologia da informação para a agricultura.

Contudo, o que mais me chamou a atenção, e gostaria de destacar neste texto, foi o aparecimento das soluções práticas de conectividade para o campo. Sem dúvida, essa é uma questão que tem incomodado a evolução tecnológica na agricultura e freado a agricultura de precisão, como filosofia de manejo preciso e de correções de operações em tempo real, para a otimização do uso dos insumos agrícolas. Nas cidades, qualquer um pode acessar informações locais e até mundiais atualizadas em seu smartphone, graças à rede de internet sem fio criada por grandes empresas da telefonia. Isso não acontece no campo, visto que não há ou não houve interesse dessa estruturação, principalmente pela baixa demanda de pessoas ou a falta de um modelo de negócio por parte das empresas de telefonia para atuarem nesse segmento de usuários. Contudo...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!