Fitossanidade

Lavoura SADIA começa antes do plantio

Fitossanidade

O tratamento de sementes é uma das principais medidas visando ao controle integrado de doenças do algodoeiro. E a combinação de dois ou três fungicidas sistêmicos com protetores, cada produto contra um fungo específico, proporciona maior espectro de ação

Luiz Gonzaga Chitarra, pesquisador da Embrapa Algodão, Núcleo Cerrado

O plantio repetitivo, no decorrer dos últimos anos, de cultivares de algodoeiro suscetíveis às doenças, as condições climáticas favoráveis do Cerrado ao desenvolvimento dos patógenos, a falta de práticas culturais como a rotação de culturas e também a destruição adequada dos restos culturais, potencializam os riscos de surtos epidêmicos, resultando em perdas na produção. Temse observado em diversas áreas produtoras que as doenças são responsáveis pelas perdas econômicas do algodoeiro, e em determinados casos podem ser causa impeditiva dessa atividade. Portanto, é imprescindível que nessas áreas do Cerrado sejam adotadas as práticas de manejo adequadas para que a cultura do algodoeiro tenha sustentabilidade.

Um dos problemas fitossanitários sérios de relevância econômica é a qualidade das sementes de algodoeiro. Portanto, é importante que os cotonicultores conheçam a procedência da semente a ser utilizada na sua propriedade e também procurem adquirir os lotes de sementes de produtores/empresas idôneas, pois a qualidade sanitária das sementes é fundamental no estabelecimento da lavoura. O uso de sementes sadias e/ou tratadas com fungicidas torna-se necessário e indispensável para o controle adequado de inúmeras doenças, cujos agentes causais são transmitidos por sementes e/ou estão presentes no solo.

Um dos problemas fitossanitários sérios de relevâ...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!