Trigo

Ações para aumentar a RENTABILIDADE

Trigo

Definição da mais indicada classe a ser cultivada ou de variedades desejadas nos mercados externos, plantio de cultivares de duplo propósito e racionalização em insumos. Essas atitudes podem levar o produtor de trigo a lucrar com a cultura que costuma ter cotações baixas

Eduardo Caierão, João Leonardo Pires e Mércio Luiz Strieder, pesquisadores da Embrapa Trigo

Arentabilidade do trigo e de outros cereais de inverno, desconsiderando aspectos de comercialização, está associada aos componentes genético e de manejo das lavouras. Sob o aspecto de sistema de produção, a área total dos cereais de inverno é pouco expressiva em relação à área cultivada no verão. Essa baixa ocupação de culturas de inverno para grãos, associada à pequena proporção de milho cultivado no verão em relação à soja, fragiliza o sistema de rotação de culturas, com reflexo na estruturação física e química do solo e, consequentemente, no potencial de rendimento de grãos das culturas de inverno. Diferentemente da soja, que ainda tem apresentado margens de rentabilidade consideráveis (não se sabe por quanto tempo), a cultura do trigo não tem margem significativa de rentabilidade e, por consequência, a escolha da melhor genética em associação ao melhor manejo em cada região e sistema produtivo é critério indispensável para que o retorno seja positivo.

O aumento do rendimento de grãos do trigo é uma missão sempre perseguida pela pesquisa e pelo setor produtivo visando à maior rentabilidade. Em relação à disponibilidade genética para alcançar altos rendimentos não se tem dúvida que as cultivares disponíveis hoje apresentam potencial muito mais elevado em relação ao que é obtido pela maioria dos produtores (veja gráfico). Al...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!