Fertilização

MICRONUTRIENTES decidem o tamanho da produtividade

Adubação

O crescimento e o desenvolvimento das plantas, assim como sua resistência a estresses bióticos e abióticos, dependem da fundamental disponibilidade de micronutrientes. Neste artigo, um verdadeiro guia sobre a importância e as formas de aplicação de Co, Cu, Fe, Mn, Mo, Ni, Zn, B, Si e Cl

Godofredo Cesar Vitti, doutor em Solos e Nutrição de Plantas, professor sênior do Departamento de Ciência do Solo da Esalq/USP, gcvitti@usp.br; e Eduardo Zavaschi, doutor em Solos e Nutrição de Plantas, consultor agronômico da Vittagro, zavaschi@vittagro.agr.br

De acordo com a legislação brasileira (Decreto nº 4.954, de 14/01/ 2004, Instrução Normativa n° 5, de 23/02/2007), são considerados micronutrientes para as plantas: metais - Cobalto (Co), Cobre (Cu), Ferro (Fe), Manganês (Mn), Molibdênio (Mo), Níquel (Ni) e Zinco (Zn); semi-metais - Boro (B) e Silício (Si); halogênio - Cloro (Cl). A exigência dos micronutrientes pelas plantas geralmente é em gramas por hectare. As expressões utilizadas para micronutrientes na área agronômica são as seguintes: extração e exportação - gramas/hectare; teor foliar - miligrama/quilo; teor no solo - miligrama/ decímetro cúbico.

Os micronutrientes são de grande importância nas plantas para o crescimento e desenvolvimento das plantas e para a resistência a estresses (Tabela 1). A atuação dos micronutrientes na nutrição das plantas resulta em determinação da produtividade, qualidade do produto e resistência a estresses bióticos e abióticos, sendo fundamentais para a nutrição de culturas, animais e humanos em geral.

Para o adequado manejo nutricional das culturas, é necessário o fornecimento dos nutrientes na quantidade, na época e na forma adeq...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!