Espaço do Leitor

MANEJO DE MILHO COM CAPIM

Quais são os principais cuidados que devem ser tomados no manejo do consórcio de milho com pastagem na integração lavoura-pecuária? Obrigado.

Rogério Müller
Toledo/PR

R – Prezado Rogério, a implantação e o manejo do consórcio são feitos de acordo com o objetivo do produtor. Se o capim for usado somente como palhada, usa-se menor quantidade de sementes da forrageira e prioriza-se o milho. Já se o objetivo é a formação de uma pastagem após a colheita do grão, aumenta-se a quantidade de sementes da forrageira. De acordo com a pesquisadora da Embrapa Fernanda Ikeda, não fazer o correto planejamento da implantação do consórcio em função do objetivo final pode implicar em aumento de custos para o produtor e em queda no rendimento. Se o número de sementes é elevado em uma lavoura que prioriza a produção de milho, a competição com o capim pode levar à menor produtividade do grão. O uso de espaçamentos maiores na lavoura de milho também pode favorecer o crescimento do capim, levando à necessidade de uma supressão desse crescimento com uso de herbicidas. Consequentemente, aumenta-se o custo de produção. Outro erro que pode ser cometido é o uso de doses inadequadas de herbicida para controlar plantas daninhas na lavoura e causar a morte do capim. Nesse caso, perde-se não só o investimento no consórcio, como também o todo o resultado benéfico esperado.


AUMENTO DO BIODIESEL

Qual é o impacto do aumento do biodiesel para a cadeia produtiva da soja no Brasil? Agradeço a informação.

Simone Morais
Belo Horizonte/MG

R – Cara Simone, a mistura de 10% de biodiesel (B10) ao diesel mineral começou a valer em 1º de março. A Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove) projeta que a demanda por óleo de soja, principal matériaprima utilizada...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!