Glauber em Campo

AGRONEGÓCIO EM CAMPANHA ELEITORAL

Glauber

Enfim vemos o agronegócio ter o destaque merecido em uma précampanha eleitoral. Todos os précandidatos à Presidência da República fazem questão de se reunir não uma, mas diversas vezes com líderes rurais e suas entidades buscando apoio e espaço para saber e dizer das demandas do setor. O patinho feio passa a cisne, afinal, nas últimas eleições, sejam nacionais ou estaduais, vemos o setor produtivo se organizar. Não como o retratado até em novelas como o curral de coronéis, mais sim como uma classe que se organiza e apoia democraticamente aqueles que a defendem ou prometem defender.

As demandas do setor produtivo sempre tiveram uma voz isolada dentro do Congresso Nacional, tanto que por décadas tivemos ícones que eram idolatrados pelos produtores. Raro seria se encontrar um produtor que não soubesse dizer o nome de um deputado que ele, em particular, admirava. Assim foi através dos tempos, este ou aquele grande defensor isolado das causas do setor produtivo, causas estas que não são poucas.

Os grandes movimentos da agricultura sempre foram encabeçados e liderados pelas entidades do setor, entidades que tinham função de liderar todo processo de reivindicação, buscando apoio parlamentar que sempre veio isolado por deputados ou senadores que se identificavam mais com a causa ou a sentiam na própria pele. O grande diferencial aconteceu no momento em que a Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) se organizou e passou a liderar o processo de representação junto ao Congresso Nacional.

De forma organizada, com método e gestão participativos, amparada em técnicos competentes, a FPA dá um exemplo de liderança e organização. O mais importante feito dessa frente de representantes do setor foi conseguir congregar os mais...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!