Plantio Direto

Plantio direto e os seus DESAFIOS em diferentes manejos

Engenheiro agrônomo Fernando Ribeiro Sichieri, coordenador do Projeto Arenito do Vale (ILP, Santo Inácio/PR, apoiado pela Fundação Agrisus desde 2003)

Plantio direto é uma tecnologia muito usual e praticada extensivamente por mais de três décadas pelos sojicultores brasileiros do Norte ao Sul deste país continental. Nesse contexto, sabemos que muitas afirmações de que “eu faço plantio direto”, se levarmos ao pé da letra a “técnica”, seria “eu faço plantio com plantadeiras de plantio direto" ou "eu não revolvo meu solo para plantar a cultura posterior”. A não utilização do plantio convencional na maioria dos 35 mi- Fotos: Divulgação lhões de hectares de soja e 17 milhões de hectares de milho cultivados no Brasil, anualmente, nos trazem fabulosas divisas produtivas e ambientais para as áreas de culturas anuais, benefícios que não temos nas culturas semiperenes, em parte das áreas cultivadas com um relevo mais acentuado, principalmente no Centro-Sul do País.

Plantio

É comum em estações chuvosas da primavera/ verão áreas sendo preparadas convencionalmente, com grande revolvimento de solos, o que tem gerado grandes problemas com erosões hídricas, principalmente em solos arenosos

As culturas anuais com maiores áreas plantadas, como soja e milho, não são estabelecidas, em sua maioria, em sistemas convencionais, conforme ocorre nas demais culturas de grande representatividade econômica e social, como cana-de-açúcar, mandioca, amendoim e outras. Vamos aos fatos: é rotineiro observarmos nas estações chuvosas da primavera/verão áreas sendo preparadas convencionalmente, com grande revolvimento de solos para plantio ou renovação destas culturas. Inevitavelmente, te...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!