Tecnologia

O cenário promissor das STARTUPS no agronegócio

Tecnologia

As agrotechs, como são chamadas as startups ligadas ao mundo do campo, prometem potencializar o agronegócio ao melhorar fatores como genética, logística e muitos outros segmentos

Isabela Borrelli, jornalista da StartSe, maior ecossistema de startups do Brasil

O agronegócio atualmente conta com grandes aliadas para combater problemas como produtividade, pragas e logística. Elas são as agrotechs: startups que buscam soluções inovadoras para o setor, unindo conhecimento e tecnologia de ponta. Apesar de ser um campo que está começando a crescer no Brasil, o potencial é grande. Segundo o 1º Censo AgTech Startups Brasil, da StartAgro, as principais áreas de atuação são as seguintes: tecnologias de suporte a decisões (56%), softwares para gestão (50%), agricultura de precisão (24%) e equipamentos inteligentes (IoT) & hardware (25%). Ao mesmo tempo, o estudo também chama atenção para setores importantes que não apareceram no radar, alguns dos quais exigem investimentos a longo prazo, como é o caso de biotecnologia e genética.

Por sinal, segundo os resultados da pesquisa, os investimentos em agronegócios no Brasil ainda são baixos e demonstram uma forma de pensar precipitada. No caso, os números revelam que há uma tendência de investidores favorecerem inovações em TI. Consequentemente, o setor de agrotech como um todo é prejudicado, já que outras iniciativas ficam em desvantagem. Ao mesmo tempo em que há essa falta de investimentos, o potencial das empresas é alto: 17% das startups afirmaram terem crescido 50% no último ano e 9%, entre 31% e 50%. Delas, 23% tem faturamento acima de R$ 100 mil. Apesar de serem números um pouco tímidos, existem mercados na área com potenci...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!