Biodiesel

BIOCOMBUSTÍVEBIS iodiesel: B10 movimenta as lavouras

Biodiesel

A ampliação de 8% (B8) para 10% (B10) de biodiesel na mistura com o diesel mineral vai demandar 5,4 bilhões do biocombustível feito de óleos vegetais e gordura animal em 2018. Uma grande oportunidade às lavouras. No caso da soja, serão 17 milhões de toneladas de grãos transformados no produto – ou 15% da safra

Donizete Tokarski, diretor superintendente da União Brasileira do Biodiesel e Bioquerosene (Ubrabio)

Seguindo a tendência mundial de substituição dos combustíveis fósseis por renováveis, a partir de março, todo o diesel comercializado no Brasil será B10. Ou seja, contará com a mistura de 10% de biodiesel, um biocombustível produzido a partir de óleos vegetais, residuais e gorduras animais, como o sebo bovino. A evolução do B8 para o B10 deve elevar em 29% a produção de Case biodiesel em 2018 em relação ao ano passado, O volume deve chegar a 5,4 bilhões de litros, frente aos 4,2 bilhões de litros de 2017. Com isso, o Brasil se consolida como o segundo maior produtor e consumidor de biodiesel, atrás apenas dos EUA. A seguir, alguns efeitos socioeconômicos e ambientais do aumento da demanda por biodiesel:

Soja (principal matéria-prima): as estimativas para a safra 2018 são de uma safra de cerca de 110 milhões de toneladas. A produção de biodiesel da cultura no ano deverá ser de 3,7 bilhões de litros, o que representa, aproximadamente, 17 milhões de toneladas do grão dedicados ao biodiesel (cerca de 15%).

Potencial de geração de empregos: estima-se que serão gerados 47 mil empregos diretos e indiretos ao longo de toda a cadeia produtiva, inclusive com a retomada de empreendimentos que estão parados. Segundo estudo realizado pela Fundaçã...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!