Agricultura 4.0

TECNOLOGIA AEROESPACIAL PARA A AGRICULTURA (Parte III e final)

Agricultura

Carlos Otoboni

Nesta edição, serão abordados satélites que possuem sensores de maior resolução espacial, até submétricos, que são aqueles que tenho preferido nos trabalhos desenvolvidos em nematoides e pragas. Justamente por apresentarem uma maior resolução, permitem a identificação de áreas precisas de ocorrência dos nematoides, por exemplo, melhorando a segurança do diagnóstico e prognóstico do problema. Dentre esses satélites, vamos começar com o Spot, da Airbus Defence and Space, que já está na sua versão 7, lançada em 2014.

Ele possui uma resolução espacial de 1,5 metro (tamanho do pixel) na pancromática e revisada diária. Ele se destaca pela capacidade que tem de fazer a cobertura de grandes áreas nessa resolução espacial, além de possuir os sensores coloridos (RGB) e infravermelho próximo. Dessa forma, possui uma aplicação muito interessante para governos, para a definição de políticas públicas, levantamentos estaduais, monitoramento do espaço territorial (programável) e suas alterações ao longo do tempo.

Na sequência, o Geoeye, disponível desde 2008, que pode ser uma referência em trabalhos de alta resolução espacial e um dos meus preferidos para “caçar” nematoides do espaço. A resolução espacial das imagens é submétrica, podendo chegar a 41 centímetros o tamanho do pixel da imagem, o que permite que se visualize com detalhes os problemas das lavouras. Além disso, sua revisada pode ser de três dias, dependo da localidade, da precisão de posicionamento de 5 metros (como um GPS de mão) e do acoplado com os sensores básicos para o monitoramento de lavouras (RGB e IR próximo).

Há previsão que o próximo satélite a ser lançado chegue a uma reso...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!