Crioulos

Usos e mercado do milho CRIOULO

Crioulos

As variedades crioulas são fundamentais para a segurança e soberania alimentar das comunidades rurais – como comida para pessoas e animais. Mais do que isso, o potencial dessas variedades é enorme para ambientes com estresses ambientais em regiões de pequenos produtores, devido aos seus significativos mecanismos de eficiência e tolerância ao clima adverso

Altair Toledo Machado, pesquisador da Embrapa Cerrados

Milho crioulo pode ser entendido como aquele que é produzido, desenvolvido e conservado pelos agricultores e comunidades tradicionais. Na verdade, é um termo espanhol utilizado principalmente para va- Fotos: Embrapa Cerrados riedades tradicionais, mas que pode ser adotado para variedades locais em determinadas situações, como, por exemplo, para aquelas variedades introduzidas em comunidades por menos de um período de 20 anos. Assim, variedades locais e tradicionais podem ser consideradas variedades crioulas. Muitas variedades de milho desenvolvidas, principalmente pelas instituições públicas, são oriundas de variedades crioulas. E quando uma variedade melhorada de milho retorna para um agricultor e passa a ser cultivada por ciclos sucessivos em sua propriedade, os arranjos gênicos e genotípicos adquirem características adaptativas ao agroecossistema no qual estão inseridos e tornam-se novamente uma variedade local e crioula. A formação de compostos de milho a partir de diferentes variedades também pode originar novas variedades locais e ou crioulas.

Essas conceituações ainda geram muitas dúvidas e alguns entendem que somente as raças indígenas (Caingang, Moroti, Entrelaçado, Lenha, entre outros) e antigas (Catetos, Cravo e Cristal), poderiam ser entendidas como variedades crioulas. Mas isso não ...

Para ler a matéria completa faça Login
Caso não seja assinante da Revista A Granja, clique Aqui e Assine Agora!